Com Under Armour, Fluminense tem menos uma dor de cabeça



O vice-presidente de marketing do Fluminense, Idel Halfen, não escondeu o alívio pelo início, na prática, da era Under Armour no clube, já que o clube passou por um período tenebroso com a canadense Dryworld (tem até processo judicial). “Certamente é uma dor de cabeça a menos. Pegamos o clube praticamente sem fornecedor de material. Foi difícil, mas deu para tirar essa dor de cabeça”.

Com o pontapé inicial da nova parceria para fornecimento de material esportivo, o planejamento da diretoria é acabar durante a próxima semana com a miscelânea de camisas em todas as categorias do clube. Não era incomum ver não só padrões diferentes de camisas da Dryworld quanto até mesmo peças da Adidas utilizadas pelas equipes de base do Flu.

Vivendo um cenário de ausência de patrocinador master, o vice de marketing crê em um acordo do gênero ainda em 2017, mas ressalta que não há desespero a ponto de aceitar qualquer quantia pelo espaço. “Se ficamos tanto tempo sem o patrocinador é porque não estamos desesperados. Senão, pegávamos o fornecedor ali da esquina. Isso mostra que o Fluminense é um clube sério”.



MaisRecentes

Fernanda Colombo deixa a arbitragem, lança livro e quer ser comentarista



Continue Lendo

Audiência pública promete pressionar políticos contra MP que retira recursos do esporte



Continue Lendo

Técnico brasileiro Milton Mendes renova mais alta licença da Uefa para técnicos



Continue Lendo