Conmebol passa a checar ‘ficha-limpa’ de dirigentes, que podem ser afastados



A Conmebol iniciou nesta semana a verificar a integridade de dirigentes sul-americanos que podem assumir cargos na entidade, que são presidente e vices das confederações. A iniciativa faz parte da nova política adotada pela Conmebol após os escândalos de corrupção que atingiram a entidade no “Fifagate”. A averiguação da “ficha-limpa” dos dirigentes está sendo feita pela Comissão de Governança e Transparência – criada no ano passado com a aprovação do novo estatuto da Conmebol – por meio da Subcomissão de Controle.

O colegiado é formado por três dos sete membros que compõem a Comissão de Governança e Transparência da Conmebol: o colombiano Ernesto Lucena Barrero (presidente), o brasileiro Wladimyr Camargos (vice) e o equatoriano Galo Yerovi. A primeira reunião sobre os trabalhos de “checagem” dos dirigentes ocorreu na última segunda-feira, na sede da Federação Colombiana de Futebol, em Bogotá.

O representante brasileiro ressalta que qualquer dirigente do alto escalão das confederações poderá ser afastado caso a Subcomissão encontre irregularidades durante a gestão. Além disso, os candidatos na próxima eleição da Conmebol também terão que ter o aval do colegiado.

– Não posso citar casos concretos mas essa é a nova política da Conmebol. Se o dirigente não estiver dentro das novas normas, poderá ser afastado – comentou Camargos.



MaisRecentes

Árbitros da Ferj estão sem receber parte dos pagamentos



Continue Lendo

Fora de São Paulo, Paraná lidera número de visitantes na Arena Corinthians



Continue Lendo

Marca ‘Flamengo’ recebe selo de ‘Alto Renome’ e ganha proteção no mercado



Continue Lendo