Sem Brasileirão, estádio de Brasília tem piora nas receitas



Diferente dos últimos anos, o estádio Mané Garrincha, em Brasília, não recebeu jogos nesta edição do Brasileirão-2017 e não há previsão para receber partidas da competição. O fato tem piorado ainda mais a equação financeira do local, cuja construção custou cerca de R$ 1,5 bilhão.

Até a 11ª rodada do Brasileirão do ano passado, o Mané Garrincha já havia recebido quatro jogos tendo Botafogo, Fluminense e Flamengo (2) como mandantes que lhe renderam R$ 287,5 mil em receita com a taxa de aluguel. O valor ajudou na arrecadação total de R$ 1,7 milhão com os 60 eventos e 14 jogos realizados no estádio.

Neste ano, entretanto, a renda obtida é bem menor. Segundo a Secretaria de Esporte, Turismo e Lazer do Distrito Federal, a arrecadação entre janeiro e abril deste foi de R$ 231,5 mil com a realização de 19 eventos entre jogos do Estadual, congressos e shows.

Em levantamento com as autorizações de uso do estádio publicadas no Diário Oficial entre abril e esta primeira semana de julho, a receita foi em torno de R$ 345 mil com um total de 30 eventos. Entre as arrecadações, estão os R$ 27,30 obtidos com parte da renda do jogo entre Brasília e Formosa pelo Estadual.



MaisRecentes

Restituição crescente de verba dá ‘gás’ para Ministério do Esporte lutar por orçamento



Continue Lendo

Vadão está de volta à Seleção Brasileira feminina



Continue Lendo

Árbitro da final da Copa do Brasil é cruzeirense. Mas isso não tem a ver com futebol



Continue Lendo