Mudanças no Profut são tema de reunião em Brasília



Uma reunião na manhã desta quarta-feira, em Brasília, debateu mudanças no texto do Profut por conta das dificuldades que clubes de menor porte têm tido para se enquadrar nas exigências da lei. Estiveram presentes no encontro o ministro do Esporte, Leonardo Picciani, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, o diretor executivo de gestão da CBF, Rogério Caboclo, além de representantes de clubes e vários deputados, como o presidente da Comissão de Esporte da Câmara, Ezequiel Teixeira (PTN-RJ).

O principal problema enfrentado por clubes menores é o de estar em dia com as exigências fiscais junto à União e obter a Certidão Negativa de Débitos (CND), requisito incluído no Profut para poder disputar as competições.

– (No encontro) se tentou pactuar uma saída para esse problema que não será tão fácil para resolução pois foi uma conquista do futebol brasileiro – afirmou o deputado Arnaldo Jordy (PPS-PA), um dos presentes na reunião.

Entre as mudanças sugeridas entre os presentes estão uma maior flexibilização no prazo para os clubes se enquadrarem em relação às contrapartidas e até mesmo anistiar as entidades que não conseguirem cumprir com as exigências da nova legislação.

– Se alguns clubes não conseguirão, acho que temos que tentar flexibilizar o prazo mas não no sentido, como alguns querem, de revogar ou anistiar. Porque aí vai penalizar aqueles que se esforçaram – completou Jordy.



  • Julio Barros

    Brasil… sil… sil…, no país mais corrupto do mundo, alguém achaou que isso ia ser seguido a risca? pena dos clubes que se esforçam pra andar na linha, bastou dizer que vão fazer a primeira vistoria nas contas dos clubes e já que anistiar, aumentar prazo, etc…
    A matéria ainda fala que são os clubes pequenos que estão com dificuldades, mas todos sabem que se fosse só os pequenos eles não estariam nem um pouco preocupado, quero ver ter peito pra rebaixar, por atrazo de pagamentos corinthians, São Paulo, Santos, Atl-Mg, cruzeiro, Vasco, Botafogo, etc… todos com dividas com jogadores, empresários, com a união e nem se sabe se depositam fundo de garantia, etc…
    o profut foi uma ideia sensacional pra fazer todos entrarem na linha mas todo mundo sabe que não vai vingar, vão achar um jeito de favorecer os clubes irresponsáveis e punir quem quer andar na linha… Isso se chama Brasil com sua classe política corrupta comandando até o futebol!!!

MaisRecentes

Classificações de Corinthians e Flamengo rendem recorde de audiência à Globo



Continue Lendo

Jogo no Maracanã está longe do radar do Flamengo



Continue Lendo

Fim dos sinalizadores é moeda de troca para liberar ‘festa’ de organizadas em SP



Continue Lendo