Ata de reunião complica CBF em inquérito sobre mudança de estatuto



O fato da ata da reunião que aprovou mudanças no estatuto da CBF constar que os clubes não estavam presentes é o principal ponto contra a entidade no inquérito instaurado no Ministério Público do Rio sobre possível descumprimento à Lei Pelé. Segundo informações da coluna, como o encontro reduziu o poder de voto das filiadas sem convocá-las para participar da Assembleia, restaria à CBF dois caminhos: anular a reunião e realizar nova votação com os clubes, ou levar o caso à Justiça.

Por conta da ata constar a ausência dos clubes, a avaliação feita por pessoas ligadas ao inquérito do Ministério Público do Rio de Janeiro avaliar que este “é um caso sem maiores complexidades”. Intimada sobre o inquérito na semana passada, a CBF não havia apresentado sua defesa até o final da tarde de ontem.

Na Assembleia Geral da entidade ocorrida no final de março, a CBF aprovou mudanças em seu colégio eleitoral em que passou a dar peso três para o voto de cada uma das 27 federações, o que manteve o poder das entidades frente aos clubes, onde os representantes da Série A ficaram com peso dois, e os clubes da Série B com peso um. Dessa forma, as federações somam 81 votos contra apenas 60 dos clubes.

O inquérito no MP-RJ foi aberto após denúncia apresentada pelo deputado federal Otávio Leite (PSDB-RJ), que foi o relator da Lei do Profut. Uma das medidas incluídas na nova lei foi exatamente a mudança no colégio eleitoral da CBF exigindo a participação dos clubes das Séries A e B.



  • netovisk

    Imagina o presidente sem passaporte da CBF é palmeirinhense, cara honesto gente fina igual o ex presidente do SPFC José M Ladrão de Medalhas outro cara honesto, se fosse flamenguista ou corintiano ai sim seria safado, agora do palmirinha e das bibas são honestos. Liberdade JÀ.

  • Fortuna

    ESSE PRESIDENTE PILANTRA DA CBF É CONSELHEIRO DO PARMERDA !
    PARMERDA E CBF DUAS ENTIDADES 171 !!!

  • gilson junior

    o que não dá pra entender é o silencio dos clubes até agora…

  • celia kruger

    É impressionante como a CBF não enxerga que os tempos agora são outros.

MaisRecentes

CBF começa treinar instrutores para curso do árbitro de vídeo



Continue Lendo

Se estrear na próxima rodada, árbitro de vídeo não será para todos os jogos da Série A



Continue Lendo

Licenciamento vira argumento de CBF e clubes para minimizar liminar contra exigência de CND



Continue Lendo