CBF entra em acordo com laboratório para exames de doping no Brasil



O ministro do Esporte, Leonardo Picciani, aproveitou a ida à CBF na terça-feira para, além de assistir ao amistoso da Seleção, confirmar o acordo entre a entidade e o Laboratório Brasileiro de Controle de Dopagem para que a análise das amostras dos exames feitos pela CBF aconteçam no Rio. Com isso, a CBF deixa de levar o material para Los Angeles. O preço por amostra não será tão barato quanto nos EUA (que cobra US$ 150), mas vai compensar, levando em conta viagem e hospedagem. O preço do LBCD será R$ 615/amostra.

Em face desse acordo, o médico Fernando Solera, que comanda a comissão de controle de doping da CBF, irá à Conmebol hoje para “vender o peixe” do LBCD. A entidade sul-americana paga US$ 250 por amostra em Los Angeles. É mais caro porque a Conmebol leva cerca de 1500 amostras por ano de jogadores da Libertadores e Sul-Americana, enquanto a CBF faz em torno de 6500 nas competições nacionais.



  • fidutifo

    Nao confiem nestes hispanos, no final adoram puxar o saco dos americanos, enquanto o antro da quadrilha de argentinos-uruguaios-chilenos-e-paraguaios negociam partilhas em dolares.

MaisRecentes

CBF começa treinar instrutores para curso do árbitro de vídeo



Continue Lendo

Se estrear na próxima rodada, árbitro de vídeo não será para todos os jogos da Série A



Continue Lendo

Licenciamento vira argumento de CBF e clubes para minimizar liminar contra exigência de CND



Continue Lendo