CBF entra em acordo com laboratório para exames de doping no Brasil



O ministro do Esporte, Leonardo Picciani, aproveitou a ida à CBF na terça-feira para, além de assistir ao amistoso da Seleção, confirmar o acordo entre a entidade e o Laboratório Brasileiro de Controle de Dopagem para que a análise das amostras dos exames feitos pela CBF aconteçam no Rio. Com isso, a CBF deixa de levar o material para Los Angeles. O preço por amostra não será tão barato quanto nos EUA (que cobra US$ 150), mas vai compensar, levando em conta viagem e hospedagem. O preço do LBCD será R$ 615/amostra.

Em face desse acordo, o médico Fernando Solera, que comanda a comissão de controle de doping da CBF, irá à Conmebol hoje para “vender o peixe” do LBCD. A entidade sul-americana paga US$ 250 por amostra em Los Angeles. É mais caro porque a Conmebol leva cerca de 1500 amostras por ano de jogadores da Libertadores e Sul-Americana, enquanto a CBF faz em torno de 6500 nas competições nacionais.



  • fidutifo

    Nao confiem nestes hispanos, no final adoram puxar o saco dos americanos, enquanto o antro da quadrilha de argentinos-uruguaios-chilenos-e-paraguaios negociam partilhas em dolares.

MaisRecentes

Brasileirão 2017 rende a melhor média de audiência à Globo nos últimos anos



Continue Lendo

Empresa cobra Fluminense por não pagamento de comissão em transferência



Continue Lendo

CBF vê Globo sem ‘adversário’ por jogos da Seleção e mantém boa relação



Continue Lendo