Liga vê Copa do Nordeste com potencial para crescer e pagar mais aos clubes



Alexi Portela, presidente da Liga do Nordeste (Foto: Fernando Torres / CBF)

Alexi Portela, presidente da Liga do Nordeste (Foto: Fernando Torres / CBF)

Alexi Portela, presidente da Liga do Nordeste, avalia edição recém-terminada da Copa do Nordeste e explica motivo da mudança para a próxima edição. Período é de ajustes no calendário e negociação por novo contrato de TV aberta.

Qual a avaliação sobre a edição-2017 da Copa do Nordeste, vencida pelo Bahia?
A cada ano a competição está sendo mais valorizada, mais vista. Fazer uma final em uma Arena (Fonte Nova) é diferente. Tem toda a estrutura. Na quarta-feira, foi uma festa muito bonita. Foi digna de uma final de Copa do Nordeste. Ainda mais sendo com dois clubes tradicionais, sem desmerecer os outros, mas foi realmente muito bom. Dois de Série A, Bahia e Sport.

No aspecto comercial, em que patamar está a Copa do Nordeste? Já alcançou o máximo que vocês esperavam?
Eu acho que ainda está aquém. O acréscimo para 20 clubes não foi bom. Diminuiu a média de publico. Por isso decidimos fazer a pré-Copa do Nordeste e ter a fase de grupos com 16 clubes novamente. Para o mata-mata, vão passar só primeiro e segundo de cada grupo de novo. Tem um equilíbrio maior das forças. Esperamos ainda mais da competição. Estamos satisfeitos, está crescendo acima do que projetado, mas queremos mais.

Então financeiramente os clubes acham que compensa participar….
O dinheiro de patrocínio da competição é muito bom. A Liga paga passagem, hospedagem, traslado, refeição. O clube viaja e não paga nada. Nenhuma competição tem esse formato no Brasil. Isso é importante frisar. Todos os clubes querem participar da Copa do Nordeste, é uma competição que distribuiu valor considerável. Da televisão, foram recebidos R$ 24 milhões (Esporte Interativo). Dessa parte, R$ 10 milhões vieram do contrato de TV aberta (Globo). Há uma conversa para novo acordo. Ouvi que há proposta de R$ 15 milhões.

E e Liga do Nordeste fica com quanto?
A Liga não fica com nada, não tem receita, nem escritório. Temos despesas mínimas administrativas. No futuro, teremos estrutura melhor. Mas tivemos que enxugar e dar o dinheiro para os clubes.

Você citou a implantação da pré-Copa do Nordeste. Mas ela já começa com certos problemas, não é? Tem a questão de calendário para ser resolvida… Chegaram a marcar duas datas, mas desistiram..
Houve problema nos Estaduais de Piauí e Maranhão e eles estão atrasados. Estamos esperando acabar os campeonatos para vermos como vai ser isso. Essa situação atrasou um pouco. Temos que encaixar dentro do calendário brasileiro. Alguns clubes não estão em Série alguma. E até tem caso de time desmontado. Temos que ver. Para quem está nas Séries do Brasileirão, não tem problema algum. Pode ser que um jogo ou dois fiquem para depois. Mas devem ser poucos. A CBF já publicou o regulamento, vai avançar.

O campeão da Copa do Nordeste este ano perdeu a vaga na Sul-Americana, por imposição da Conmebol. O prêmio foi ir direto para as oitavas da Copa do Brasil. Há a garantia da CBF de que isso vai continuar no ano que vem?
Vai continuar. Com isso, o Bahia, como foi o campeão, terá direito à Copa do Brasil. Vai ter mais uma vaga para o estado da Bahia. O Fluminense de Feira, pela classificação no Estadual, vai poder participar da competição, que terá um aumento significativo nas cotas.

Esse “casamento” da liga com a CBF na organização funciona bem ou ainda precisa melhorar?
Eu acho que é isso que faz com que a competição cada vez cresça mais. Todo mundo está remando para o mesmo lado. Liga, CBF e Federações. As Federações são muito importantes também. Elas aceitaram desatrelar a competição dos Estaduais, colocando pelo ranking da CBF. Então, acho isso muito importante termos essa parceria. Se não fosse assim… Por exemplo, já teve o início do Brasileiro e a final foi encaixada agora em maio. A CBF poderia implicar por causa da data.

Existe a possibilidade de um aporte financeiro mais robusto da CBF?
Acho difícil. Já tentamos. Ela não financia, mas dá apoio na arbitragem, tabela, etc.

Para a edição-2017, a fase principal fica com o mesmo número de datas?
Vão ser 12 datas. A única competição que não diminui datas. Temos um contrato assinado, garantindo as 12.



MaisRecentes

Diretor da Chape compara permanência na Série A a título da Champions League



Continue Lendo

Botafogo sai da lista de clubes formadores da CBF. Coritiba retorna



Continue Lendo

Entidades buscam nome para preencher vaga no Tribunal Antidopagem



Continue Lendo