China já gastou US$ 447 milhões com jogadores brasileiros desde 2013



Gil, Renato Augusto e Paulinho estão na Seleção mesmo atuando na China (Lucas Figueiredo/CBF)

Gil, Renato Augusto e Paulinho estão na Seleção mesmo atuando na China (Lucas Figueiredo/CBF)

A China está gastando uma fortuna com jogadores brasileiros. A conclusão da chefe de compliance e integridade do Transfer Matching System (TMS, o sistema de transferências internacionais da Fifa), Kimberly Morris, foi embasada com números que ela apresentou na CBF ontem. Em cinco temporadas, contando no período entre 2013 e 2017, o mercado da bola da China já gastou US$ 447 milhões (R$ 1,42 bilhão, na cotação atual) em transferências envolvendo 109 jogadores brasileiros.

A média é de US$ 4,1 milhões (R$ 13 milhões) por jogador adquirido. O investimento é crescente. Atualmente, o gasto chinês com brasileiros representa metade das despesas dos clubes profissionais nas janelas.

Em 2017, por exemplo, os dados da Fifa dão conta de um investimento de US$ 108 milhões (cerca de R$ 343 milhões), em apenas 11 transferências de brazucas.

O recorde até o momento é de 2016, com US$ 200 milhões (cerca de R$ 637 milhões) em jogadores brasileiros. Os anos anteriores foram US$ 82 milhões (2015), US$ 35 milhões (2014) e US$ 22 milhões.



MaisRecentes

Globo vê obstáculos na ‘pressa’ da CBF para implantar árbitro de vídeo



Continue Lendo

Procurador do STJD não vê brecha para futura reclamação por causa do árbitro de vídeo



Continue Lendo

Eurico exalta árbitro de vídeo no Brasileiro: ‘Antes tarde do que nunca’



Continue Lendo