Ministério da Fazenda revela rescisões com clubes no Profut



A Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional informa que não há, atualmente, Clubes de Futebol excluídos do Programa de modernização da gestão e de responsabilidade fiscal do futebol brasileiro (PROFUT). Devido a um erro no tratamento dos dados extraídos do sistema, foram apresentadas informações equivocadas ao jornal por meio da Lei de Acesso a Informações (LAI).

————————–

A lista de clubes/entidades cuja participação no Profut foi interrompida chega a 12 integrantes, segundo o Ministério da Fazenda. Dela fazem Vila Nova (GO), Operário-MS, Ferroviário-CE, ABC (RN) Fluminense de Feira (BA), América-TO, Bangu, Santo André, Botafogo-SP, Sociedade Recreativa de Ribeirão Preto, São Bernardo e Taubaté.

A coluna obteve a relação por meio da Lei de Acesso à Informação. O documento enviado como resposta foi assinado pela coordenadora-geral da Dívida Ativa da União, Renata Gontijo D’Ambrosio, e dá conta da existência de casos em que o parcelamento foi encerrado por rescisão e por indeferimento.

O Ministério da Fazenda ainda informou à De Prima os valores consolidados do parcelamento de cada uma das entidades. O montante total chega à marca de R$ 7,5 milhões. Há valores mais robustos (levando em conta o porte de cada clube), como R$ 1,7 milhão devido pelo Santo André, e outros mais “singelos”, como os R$ 15,7 mil do Bangu.

A coluna procurou alguns clubes, como Bangu e ABC. Ambos afirmaram desconhecer a informação de rescisão e afirmaram estarem pagando as parcelas devidas. “Eu venho pagando por mês entre R$ 6 mil e R$ 9 mil. Não recebi informação sobre rescisão. Eu continuo recebendo as guias e pagando”, disse o presidente do Bangu, Jorge Varela. “Desconhecemos isso, e continuamos pagando”, comentou o vice-presidente do ABC, Rodrigo Salustiano.

O Vila Nova, inclusive, enviou uma cópia da Certidão Negativa de Débito, na qual conta a informação: “Adesão ao Profut com pagamento regular”.

lista de rescisões do Profut

Texto da resposta do Governo Federal

A Coordenadora-Geral da Dívida Ativa da União Substituta, Dra. Renata Gontijo D’Ambrosio, atendendo à solicitação de informação formulada por Vossa Senhoria e, tendo em vista o disposto na Lei nº 12.527, de 18 de novembro de 2011, encaminha, em anexo, relatório com nome, número de identificação dos optantes do parcelamento PROFUT, cujo parcelamento fora indeferido ou encerrado por rescisão. Ademais, consta também os valores consolidados do parcelamento de cada um deles.



MaisRecentes

Diretor da Chape compara permanência na Série A a título da Champions League



Continue Lendo

Botafogo sai da lista de clubes formadores da CBF. Coritiba retorna



Continue Lendo

Entidades buscam nome para preencher vaga no Tribunal Antidopagem



Continue Lendo