Presidente do Flamengo cita decreto de lei para pôr fim às dúvidas no Profut



A última assembleia geral da CBF que alterou o estatuto da entidade gerou polêmica por conta do veto à participação dos clubes na reunião ocorrida no mês passado. Parte dos dirigentes, entre eles o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, cita que o artigo 22 do Lei Pelé, alterado pela Lei do Profut, prega a inclusão dos clubes não só no colégio eleitoral da entidade que comanda o futebol como também em sua assembleia administrativa, que na última ocasião reuniu apenas os presidentes das federações.

Para pôr fim às discussões, Bandeira diz que uma das possibilidades é a divulgação de um decreto de lei para deixar claro o que aponta o artigo da lei.

– Eu participei da construção da lei e no meu entendimento os clubes têm que participar da assembleia. Mas se ainda há dúvidas, um decreto de lei poderia resolver essa questão – afirmou o presidente Rubro-Negro.

Segundo Bandeira, o assunto foi um dos temas debatidos na reunião ocorrida em São Paulo, na última sexta-feira, que reuniu os presidentes de outros cinco clubes: Atlético-PR, Coritiba, Fluminense, Bahia e Atlético-MG.



MaisRecentes

Árbitros da Ferj estão sem receber parte dos pagamentos



Continue Lendo

Fora de São Paulo, Paraná lidera número de visitantes na Arena Corinthians



Continue Lendo

Marca ‘Flamengo’ recebe selo de ‘Alto Renome’ e ganha proteção no mercado



Continue Lendo