Grupo francês pretende entrar no Maracanã já na próxima semana para avaliar reformas



Perto de concretizar a compra da concessão do Maracanã junto à Odebrecht, a Lagardère pretende entrar no estádio nos próximos dias para iniciar a avaliação dos gastos necessários para as reformas emergenciais, como instalação de cadeiras e funcionamento do sistema de segurança.

Mesmo que falte detalhes para a total conclusão do acordo, o grupo francês prega já ter o direito de acesso ao Maracanã para levantar os ajustes que precisam ser realizados. A expectativa é de investir R$ 15 milhões nessas obras.

Para iniciar a avaliação, a Lagardère aguarda a chegada ao país do CEO da operação brasileira, Aymeric Magne, que está prevista para esta sexta-feira. O executivo esteve esta semana em Paris, na França, onde fica a sede do grupo, para levar a documentação do acordo de gestão do Maracanã para ser assinada.

Para os 33 anos que irá administrar o Maracanã, a Lagardère prevê investir cerca de R$ 500 milhões. Apesar do valor ser destinado para todo o período que estiver à frente do estádio, boa parte do montante será investido nos primeiros anos de gestão.

 



  • Zé Jagunço

    Agora sim o Maracanã vai dar lucro e será bem administrado. Porque se dependesse dos brasileiros o estádio ficaria abandonado e caindo aos pedaços, sem contar a corrupção.
    Empresa francesa é outro nível, principalmente porque a Lagardere administra dezenas de estádios mundo afora.
    Não esquenta não Cheirinho, daqui à 33 anos vocês tentam de novo.

  • Sérgio Costa

    Quero ver o Maracanã sobreviver sem o Flamengo. Só terá sobrevida se for para fazer sows musicais.

    • gabriel silveira

      Melhor do que sobreviver com 1.200 torcedores por partida.

MaisRecentes

Nuzman está inclinado a se explicar na Câmara sobre escândalo



Continue Lendo

CBV visita cidade que pode receber seleções de vôlei nos Jogos de 2020



Continue Lendo

Botafogo deixa a Libertadores com R$ 13,4 milhões pela participação



Continue Lendo