Governo do Rio terá reuniões com concorrentes pelo Maracanã



Maracanã (Foto: Staff Images)

Maracanã (Foto: Staff Images)

A Casa Civil do Rio terá nesta semana reuniões envolvendo a concessionária que administra o Maracanã e as duas pretendentes à gestão do estádio (GL Events e Lagardère). Na pauta está o montante que a nova administração terá que investir nos 32 anos da concessão. No contrato original, a previsão era que a gestora aplicasse R$ 590 milhões, mas como o governo mudou os planos para o complexo, desistindo de demolir, por exemplo, o Museu do Índio e o Célio de Barros, o valor deve cair.

As reuniões com o governo do Rio serão estratégicas para que os postulantes à gestão do Maracanã verifiquem o nível de exigência sobre o tema. Um aditivo contratual será costurado. O encontro não definirá a vencedora da disputa, mas pode pesar sobre a postura de ambos os lados nas negociações. Em conversas anteriores, o governo deu 30 dias para a decisão da Odebrecht, prazo que acabaria esta semana. Mas a novela Maracanã não está próxima do fim.



  • Marcelo Cardoso Ferreira Cardo

    O flamengo fez contratações de muitos estrangeiros e somente três estão jogando, vamos refletir e colocar mais gente da base e mexer na zaga, o trabalho esta caminhando certo, porém falta estes ajustes, sem falar que os dois zagueiros quase toda hora viram centroavante, estão na área querendo fazer gol, temos que mostrar a eles que suas funções primeira é defender

    • Fernandel Walker

      O mesmo valendo para os volantes Romulo e Arão.

  • Jefferson Telles

    Opa! pode ter maracutaia ai… A concessão se deu por licitação pública e a sua continuidade ou transferência a terceiros tem de se dar em cenário de ampla e irrestrita publicidade. É muito estranho que as regras sobre os investimentos necessários não estivessem claramente dispostas no Edital de licitação inicial, o que demonstra a fragilidade (para dizer o mínimo) na qual o processo foi conduzido. Estranha a passividade com o que os órgãos da administração pública estadual tratam o tema. Em uma situação normal, o simples descumprimento das atividades de manutenção do equipamento concedido já seria motivo para aplicação de penalidade contra a Odebrecht e até o cancelamento do contrato de concessão. Com a palavra, direto de Bangu, o ex-governador do RJ.

    • Fernandel Walker

      Bom, se o “comandante” da situação foi o nosso queridíssimo ex-governador enjaulado, as únicas coisas que esse processo não teve foram lisura, transparência e honestidade. O resto, meu amigo, rolou de tudo. E se tivessem demolido o Museu do Índio e o Célio de Barros, o pixuleco seria mais atraente. Eram capazes até de demolir tb o Maracanãzinho e a Tijuca inteira, pra conseguir mais um pouquinho.

  • Boris Moskalenko

    Mutreta DETECTED.

  • Edison Lopes

    Construíram um estádio para as elites.Cobram preços que até a classe média baixa, já não pode pagar.Os mafiosos do govêrno e do Empresariado, que sempre saem lucrando, via SUBÔRNO, com certeza nã´sabem que o Salário Mínimo neste País, não chega a 1.000,00( hum mil reais) e um clube pode jogar até 8 vezes no mês. Como pagar o ingresso.?

  • Braz José Freitas

    Que os concorrentes preparem o bolso. Num governo PMDB, certamente serå exigida uma propina.

  • Fernandel Walker

    Governo do estado na jogada? Hehehehehe
    Os envolvidos já estão babando e esfregando as patinhas de rato.

MaisRecentes

CBF começa treinar instrutores para curso do árbitro de vídeo



Continue Lendo

Se estrear na próxima rodada, árbitro de vídeo não será para todos os jogos da Série A



Continue Lendo

Licenciamento vira argumento de CBF e clubes para minimizar liminar contra exigência de CND



Continue Lendo