Secretário do estado: “Se não dermos as mãos, não vamos ter Maracanã funcionando”



Secretário estadual de Esporte entre 2013 e 2014 e atual secretário de Cultura do Rio, o deputado federal André Lazaroni (PMDB) defendeu uma união envolvendo todos as partes interessadas no funcionamento do Maracanã para resolver a situação na qual o complexo se encontra. “Maracanã sem os grandes não vai existir. Deveríamos reunir os quatro com a Ferj, governo do estado, empresas interessadas e fazer uma grande união. .Se não dermos as mãos, não vamos ter Maracanã funcionando”, analisou.

Lazaroni participou da reta final dos preparativos para a Copa das Confederações e Copa do Mundo. Na visão dele, o enfraquecimento da Odebrecht foi fatal. “A empresa vivia um momento muito forte, poderoso. Mas aí veio a crise, a empresa se viu envolvida em vários escândalos, inclusive assumiu. Isso a levou a desistir de algumas operações, as menos lucrativas, e um dos casos é o Maracanã”, comentou o secretário, que esteve em um camarote da Sapucaí.

Pelo discurso de Lazaroni, não é porque agora é responsável pela pasta da Cultura no governo estadual que o desinteresse pelo Maracanã se justifica: “Maracanã é rentável, é importante. Faz parte do esporte e da cultura do Rio. A Cultura tem um papel importante na nossa vida. Vamos ajudar a encontrar a solução. O diálogo é o caminho”, completou.



MaisRecentes

Evento em Paris vai debater questão do clube-empresa no futebol brasileiro



Continue Lendo

Grupos políticos do Vasco pedem fim de gasto extra em viagens



Continue Lendo

Rubens Lopes, presidente da Ferj, vê problema em fluxo de pagamento de cotas de TV aos clubes



Continue Lendo