Ata de reunião que pressiona saída de presidente do Corinthians descreve encontro que não ocorreu



Documento chave no processo de impeachment do presidente do Corinthians, Roberto de Andrade, a Ata da reunião que deu maior prazo para a Odebrecht finalizar as obras da Arena contém erros sobre a descrição do encontro. Segundo o parecer da Comissão de Ética que analisou o pedido de impeachment de Roberto de Andrade, o documento cita a realização de uma reunião presencial de representantes do clube, da Odebrecht e do Fundo responsável pelas finanças do estádio. Entretanto, o encontro nunca ocorreu, ao menos na forma descrita.

Segundo o parecer da Comissão, “não há dúvidas de que nunca houve a realização de uma positiva assembleia presencial como registrado na Ata”. O documento aponta ainda que o encontro teve uma “lista de presença”, mas que “está claro que a reunião pessoal nunca se realizou”.

Apesar do erro na redação da Ata, os membros da Comissão de Ética do Corinthians apontam não haver fraude no caso já que a empresa administradora da Arena já previa que “reuniões não presenciais seriam aceitáveis em fundos de poucos quotistas”.

O parecer entregue aos conselheiros do Corinthians, cujo conteúdo é contrário à destituição do presidente corintiano, aponta ainda que os equívocos sobre a descrição da reunião é “certamente fruto do preguiçoso cacoete de valer-se dos mecanismos de ‘recortar e colar’, aproveitando-se de documentos outros, já salvos na memória do computador”.



MaisRecentes

Diretor da Chape compara permanência na Série A a título da Champions League



Continue Lendo

Botafogo sai da lista de clubes formadores da CBF. Coritiba retorna



Continue Lendo

Entidades buscam nome para preencher vaga no Tribunal Antidopagem



Continue Lendo