Ata de reunião que pressiona saída de presidente do Corinthians descreve encontro que não ocorreu



Documento chave no processo de impeachment do presidente do Corinthians, Roberto de Andrade, a Ata da reunião que deu maior prazo para a Odebrecht finalizar as obras da Arena contém erros sobre a descrição do encontro. Segundo o parecer da Comissão de Ética que analisou o pedido de impeachment de Roberto de Andrade, o documento cita a realização de uma reunião presencial de representantes do clube, da Odebrecht e do Fundo responsável pelas finanças do estádio. Entretanto, o encontro nunca ocorreu, ao menos na forma descrita.

Segundo o parecer da Comissão, “não há dúvidas de que nunca houve a realização de uma positiva assembleia presencial como registrado na Ata”. O documento aponta ainda que o encontro teve uma “lista de presença”, mas que “está claro que a reunião pessoal nunca se realizou”.

Apesar do erro na redação da Ata, os membros da Comissão de Ética do Corinthians apontam não haver fraude no caso já que a empresa administradora da Arena já previa que “reuniões não presenciais seriam aceitáveis em fundos de poucos quotistas”.

O parecer entregue aos conselheiros do Corinthians, cujo conteúdo é contrário à destituição do presidente corintiano, aponta ainda que os equívocos sobre a descrição da reunião é “certamente fruto do preguiçoso cacoete de valer-se dos mecanismos de ‘recortar e colar’, aproveitando-se de documentos outros, já salvos na memória do computador”.



MaisRecentes

Romário quer que presidente de órgão do legado olímpico passe por sabatina no Senado



Continue Lendo

COB mantém uniformes da Nike mesmo sem contrato



Continue Lendo

Clubes citam preocupação com uso de vídeo sem testes na Libertadores



Continue Lendo