Concessionária já temia furtos no Maracanã antes dos Jogos Rio-2016



A Complexo Maracanã Entretenimento, concessionária liderada pela Odebrecht responsável pela gestão do Maracanã, já temia o furto de objetos do acervo histórico do estádio há pelo menos seis meses. Na última segunda-feira, foram furtados diversos itens do Maracanã, como televisores e um busto de cobre de Mário Filho, jornalista que dá nome ao estádio.

Tanto que no dia 15 de junho do ano passado, dois meses antes do início dos Jogos Rio-2016, a empresa protocolou um documento no 1º Ofício do Registro de Títulos e Documentos do Rio de Janeiro afirmando que já havia entregue as chaves das salas onde estavam as peças do acervo histórico para a Superintendência de Desportos do Rio de Janeiro (Suderj), sendo o órgão estadual o único responsável pelos itens naquele momento.

No documento, a concessionária aponta que “reforçou a solicitação para que a Suderj promovesse a retirada dos bens” e que o órgão estadual “não cuidou de retirar o acervo histórico”. A companhia cita ainda que “a demora na adoção das providências poderia causar danos irreparáveis ou de difícil reparação ao acervo histórico, que tem alto valor cultural e patrimonial para a sociedade brasileira”.

Entre os itens citados no documento que a concessionária reforça atenção está a estátua do ex-jogador Zico, que aponta estar localizada no “térreo oeste, na antiga área de exposição do Maracanã Tour”.

A concessionária liderada pela Odebrecht aponta ainda que “é de pleno conhecimento da Suderj que o CME (Complexo Maracanã Entretenimento) não poderá, sob hipótese alguma, ainda mais durante o período de uso exclusivo, ser responsabilizado pela integridade e conservação do acervo histórico cujo domínio, utilização, guarda e conservação sempre competiram à Suderj, seja na vigência do contrato ou do período de uso exclusivo”.

Contatada, a Suderj diz que “o Estado foi informado do furto pelos órgãos de segurança e adotará as medidas legais e contratuais cabíveis relativas ao ocorrido”, e que “cabe ressaltar que o Complexo Maracanã, conforme contrato vigente, está sob responsabilidade da Concessionária Maracanã S.A”.

pag-03 pag-04



  • Luiz Matias

    comeu a carne e não quer roer o osso . kkkkk . elefante branco .

    • Gotsu Totsu Kotsu

      Já que nem o Cheirinho nem o Tapetense querem COMPRAR esse mamute branco que é o Maracanã, uma sugestão seria derrubá-lo e construir um shopping no local, gerando milhares de empregos. O povo precisa de emprego e nao de estádio.

  • Gotsu Totsu Kotsu

    A imprensa falou pelos cotovelos que os estádios de Manaus, Cuiabá e Natal seriam elefantes brancos, então tá aí o Maracanã que virou um mastodonte branco.

  • Claudio

    Se sabiam, pq não botaram seguranças no local, que vergonha!!kkk

  • Gotsu Totsu Kotsu

    A imprensa esportiva nojenta e bairrista falava pelos cotovelos que os estádios de Manaus, Cuiabá e Natal seriam elefantes brancos, está aí o Maracanã que virou um mastodonte branco.

MaisRecentes

Romário quer que presidente de órgão do legado olímpico passe por sabatina no Senado



Continue Lendo

COB mantém uniformes da Nike mesmo sem contrato



Continue Lendo

Clubes citam preocupação com uso de vídeo sem testes na Libertadores



Continue Lendo