Custo do departamento médico do Palmeiras aumentou 70% em dois anos



O Palmeiras anunciou a demissão de todo o seu departamento médico nesta quinta-feira. Na nota que divulgou sobre as mudanças na área, a diretoria apenas agradece os serviços prestados e não cita os motivos para o desligamento dos profissionais, que estavam há 20 anos no clube, como é o caso do médico Vinícius Martins.

Mas uma explicação pode ser o corte nos gastos com o departamento. Segundo levantamento da coluna com base nos balancetes do Palmeiras, os custos com os profissionais aumentaram 70% nos últimos dois anos. Em agosto de 2014, o clube pagou R$ 65,2 mil em salários para os 15 profissionais do departamento, sendo que no último balancete divulgado, de novembro do ano passado, o gasto mensal na área saltou para R$ 111,2 mil.

O período de aumento coincide com o último mandato do ex-presidente Paulo Nobre. E a demissão dos médicos já é a segunda grande mudança realizada pelo novo mandatário Maurício Galiotte, que está há menos de um mês à frente do Palmeiras. Às vésperas do Natal, a nova diretoria anunciou que não renovaria o contrato com a empresa Press FC, que prestava serviços de assessoria e produção de conteúdos para o clube.



MaisRecentes

Vasco quer aumentar uso do Maracanã para impulsionar projeto de sócio-torcedor



Continue Lendo

Torcedores podem acionar Ministério Público contra Pedro Abad



Continue Lendo

Campanha ajuda Fortaleza a trazer de volta atacante Osvaldo



Continue Lendo