Liminar que ressuscita licitação não afasta equipe do Ministério do Parque Olímpico



Não é porque a Justiça expediu uma liminar suspendendo o cancelamento da licitação do Parque Olímpico que a equipe do Ministério do Esporte deixará de atuar no local para avançar na transição junto à Prefeitura do Rio e definir, por exemplo, quanto vai custar a manutenção das arenas. O Ministério recebeu o Parque antes do Natal, mas a Sanerio, única empresa interessada na concessão, acionou a Justiça ao ser rejeitada pelo município. A permanência dos trabalhos se deve à confiança do governo na queda da liminar.

Como a liminar (cuja multa por descumprimento é R$ 100 mil/dia) é recente, a Advocacia-Geral da União ainda vai definir a estratégia para atuação no caso. Como o processo envolve o governo, a expectativa é que o assunto seja encaminhado à Justiça Federal. O ministro do Esporte, Leonardo Picciani, está convicto em uma solução rápida para que “os equipamentos não sejam colocados em risco”.



MaisRecentes

Pagamento a intermediários somou R$ 18,3 milhões em 2016



Continue Lendo

Laudo apontou ‘risco mínimo’ em setor que desabou na Vila Belmiro



Continue Lendo

Federação de PE aguarda definição da Fifa para implantar árbitro de vídeo no Estadual



Continue Lendo