Liminar que ressuscita licitação não afasta equipe do Ministério do Parque Olímpico



Não é porque a Justiça expediu uma liminar suspendendo o cancelamento da licitação do Parque Olímpico que a equipe do Ministério do Esporte deixará de atuar no local para avançar na transição junto à Prefeitura do Rio e definir, por exemplo, quanto vai custar a manutenção das arenas. O Ministério recebeu o Parque antes do Natal, mas a Sanerio, única empresa interessada na concessão, acionou a Justiça ao ser rejeitada pelo município. A permanência dos trabalhos se deve à confiança do governo na queda da liminar.

Como a liminar (cuja multa por descumprimento é R$ 100 mil/dia) é recente, a Advocacia-Geral da União ainda vai definir a estratégia para atuação no caso. Como o processo envolve o governo, a expectativa é que o assunto seja encaminhado à Justiça Federal. O ministro do Esporte, Leonardo Picciani, está convicto em uma solução rápida para que “os equipamentos não sejam colocados em risco”.



MaisRecentes

Levir Culpi x Fluminense: processo vira segredo de Justiça



Continue Lendo

Copa América-2019: Impasse contratual aumenta atraso na organização



Continue Lendo

‘Momento é delicado e precisamos reorganizar o esporte’, avalia João Derly



Continue Lendo