Processos julgados em órgão da CBF custam até seis vezes menos



Criado este ano pela CBF para julgar litígios entre clubes, atletas e intermediários, a Câmara Nacional de Resolução de Disputas (CNRD) tem o baixo custo como um diferencial em relação a outros órgãos. Segundo o presidente da CNRD, Vitor Butruce, o valor médio dos processos é de R$ 20 mil, o que chega a ser até seis vezes menor ao praticado no mercado, como a comparação com o Centro de Arbitragem e Mediação da Câmara de Comércio Brasil-Canadá (CAM-CCBC), cujo custo do processo ultrapassa os R$ 120 mil.

O presidente da CNRD cita ainda outros quatro órgãos para comparar o valor dos processos com o da CBF: FGV (cerca de R$ 115 mil), Corte Arbitral do Esporte (R$ 80 mil), e os tribunais de Justiça de São Paulo e do Rio Grande do Sul (R$ 70 e R$ 35 mil, respectivamente).

– O valor é muito, mas muito mais barato que uma arbitragem comercial – comentou Butruce, em evento realizado pelo Instituto Brasileiro de Direito Desportivo (IBDD), em São Paulo, na semana passada.

A atuação mais informal da CNRD é um dos motivos que o órgão vinculado à CBF ter um custo mais baixo. Além de ter um colegiado fixo de cinco membros indicados pela própria entidade, eles recebem os processos por e-mail e muitas vezes adiantam as discussões dos litígios por meio de conferências, sem a necessidade de haver sessões presenciais.



MaisRecentes

Diretor da Chape compara permanência na Série A a título da Champions League



Continue Lendo

Botafogo sai da lista de clubes formadores da CBF. Coritiba retorna



Continue Lendo

Entidades buscam nome para preencher vaga no Tribunal Antidopagem



Continue Lendo