Processos julgados em órgão da CBF custam até seis vezes menos



Criado este ano pela CBF para julgar litígios entre clubes, atletas e intermediários, a Câmara Nacional de Resolução de Disputas (CNRD) tem o baixo custo como um diferencial em relação a outros órgãos. Segundo o presidente da CNRD, Vitor Butruce, o valor médio dos processos é de R$ 20 mil, o que chega a ser até seis vezes menor ao praticado no mercado, como a comparação com o Centro de Arbitragem e Mediação da Câmara de Comércio Brasil-Canadá (CAM-CCBC), cujo custo do processo ultrapassa os R$ 120 mil.

O presidente da CNRD cita ainda outros quatro órgãos para comparar o valor dos processos com o da CBF: FGV (cerca de R$ 115 mil), Corte Arbitral do Esporte (R$ 80 mil), e os tribunais de Justiça de São Paulo e do Rio Grande do Sul (R$ 70 e R$ 35 mil, respectivamente).

– O valor é muito, mas muito mais barato que uma arbitragem comercial – comentou Butruce, em evento realizado pelo Instituto Brasileiro de Direito Desportivo (IBDD), em São Paulo, na semana passada.

A atuação mais informal da CNRD é um dos motivos que o órgão vinculado à CBF ter um custo mais baixo. Além de ter um colegiado fixo de cinco membros indicados pela própria entidade, eles recebem os processos por e-mail e muitas vezes adiantam as discussões dos litígios por meio de conferências, sem a necessidade de haver sessões presenciais.



MaisRecentes

Campanha ajuda Fortaleza a trazer de volta atacante Osvaldo



Continue Lendo

Ferj se surpreende com informalidade da prefeitura do Rio de Janeiro



Continue Lendo

Elenco do Palmeiras pede por Deyverson, Felipão dá chance, mas diretoria quer negociá-lo



Continue Lendo