Fenapaf critica proposta de 20 anos de trabalho para atletas terem aposentadoria



A Comissão de Esporte da Câmara dos Deputados debateu, na última terça-feira, a proposta que visa assegurar o direito à aposentadoria a atletas profissionais de alto rendimento. O tempo mínimo de contribuição que consta no projeto de lei para obter o benefício é de 20 anos, período que foi criticado pelo advogado da Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol (Fenapaf), Décio Neuhaus, um dos convidados da reunião.

–  Como um atleta profissional vai conseguir 20 anos de recolhimento? Só times das Séries A e B têm ano cheio, os outros jogam em média sete meses e precisarão trabalhar mais de 50 anos para completar esse tempo mínimo – comentou Neuhaus.

Ele citou exemplos de ex-jogadores como Zinho (Palmeiras e Flamengo) e Danrlei (Grêmio), que em toda a carreira profissional atuaram por 18 e 13 anos, respectivamente.



MaisRecentes

Brasileirão 2017 rende a melhor média de audiência à Globo nos últimos anos



Continue Lendo

Empresa cobra Fluminense por não pagamento de comissão em transferência



Continue Lendo

CBF vê Globo sem ‘adversário’ por jogos da Seleção e mantém boa relação



Continue Lendo