Fenapaf critica proposta de 20 anos de trabalho para atletas terem aposentadoria



A Comissão de Esporte da Câmara dos Deputados debateu, na última terça-feira, a proposta que visa assegurar o direito à aposentadoria a atletas profissionais de alto rendimento. O tempo mínimo de contribuição que consta no projeto de lei para obter o benefício é de 20 anos, período que foi criticado pelo advogado da Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol (Fenapaf), Décio Neuhaus, um dos convidados da reunião.

–  Como um atleta profissional vai conseguir 20 anos de recolhimento? Só times das Séries A e B têm ano cheio, os outros jogam em média sete meses e precisarão trabalhar mais de 50 anos para completar esse tempo mínimo – comentou Neuhaus.

Ele citou exemplos de ex-jogadores como Zinho (Palmeiras e Flamengo) e Danrlei (Grêmio), que em toda a carreira profissional atuaram por 18 e 13 anos, respectivamente.



MaisRecentes

Licenciamento vira argumento de CBF e clubes para minimizar liminar contra exigência de CND



Continue Lendo

CBF faz ‘parte 2’ de reuniões sobre árbitro de vídeo nesta quarta



Continue Lendo

Globo vê obstáculos na ‘pressa’ da CBF para implantar árbitro de vídeo



Continue Lendo