Cotas de TV de Fla-Flu geram conflito na Primeira Liga



A negociação da Primeira Liga com a Globo para receber R$ 23 milhões anuais pelos direitos de TV do torneio pelos próximos três anos gerou conflito entre os clubes por conta da distribuição de cotas. O motivo da desavença gira em torno dos ganhos de Flamengo e Fluminense.

O rubro-negro por ficar com a maior fatia do bolo nos moldes atuais do acordo, em torno de R$ 2 milhões. Já o Fluminense por estar no segundo escalão ao lado de Galo, Cruzeiro, Grêmio e Inter, que ficaram com cerca de R$ 1,5 milhão cada, o que desagrada Coritiba e Atlético-PR, que querem melhores condições na divisão.

Outros times da Primeira Liga também estão insatisfeitos com a divisão das cotas e uma reunião para debater o assunto ocorrerá nos próximos dias em Florianópolis ou Balneário Camboriú.

Um dos articuladores da criação da Primeira Liga, o presidente da federação catarinense e vice da CBF, Delfim Peixoto, também vê privilégios à dupla carioca nas negociações.

– Eles entraram de favor na Liga e foram muito bem recebidos. Mas não é justo já quererem tomar conta do negócio – afirmou o dirigente.

Em relação Fluminense, um dos argumentos é que o tamanho da torcida do time está mais próxima dos times paranaenses do que dos grandes gaúchos e mineiros. O presidente do Fluminense, Peter Siemsen, diz desconhecer o atrito e não vê problemas na divisão.

Já o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, não atendeu a ligação da coluna para comentar o caso.



MaisRecentes

À espera de decisão da Justiça sobre eleição, oposição se movimenta no Vasco



Continue Lendo

Instituto Guga Kuerten consegue captar doações via ‘Clube do Patrocínio’



Continue Lendo

Grupos respeitam luto por Eurico, mas rearrumação política está em curso



Continue Lendo