Medicamentos terão aviso de substâncias proibidas no esporte para evitar doping



A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira um projeto de lei que obriga os medicamentos a indicarem a existência de substâncias que são proibidas no esporte. A intenção é evitar a ocorrência de doping involuntário entre os atletas com a inclusão da advertência tanto nas embalagens quanto na bula dos medicamentos. A proposta ainda será analisada pelo Senado antes de ser sancionada pelo governo.

A proposta é de autoria do deputado Deley (PTB-RJ), que é ex-jogador e técnico de futebol. Caso entre em vigor, a norma obrigará os medicamentos em questão ter a inscrição “contém substância considerada ‘doping’ no esporte” na embalagem e bula.

Em sua justificativa, o deputado aponta que o projeto visa “conter a escalada de uso de substâncias que possibilitam melhor desempenho dos atletas” e que, “a fim de preservar os atletas brasileiros, surge a necessidade de que os laboratórios farmacêuticos insiram advertências nos medicamentos que contenham substâncias consideradas ‘doping’ no esporte”.

Ainda de acordo com o projeto de lei, as empresas que desobedecerem a norma serão punidas de acordo com a lei sanitária que já está em vigor.



MaisRecentes

‘Serão 6,5 mil testes este ano’, diz presidente da comissão antidoping da CBF



Continue Lendo

Tícket médio dos jogos do Brasileirão-2016 teve queda de 10%, aponta estudo



Continue Lendo

ABCD crê em recredenciamento junto à Wada até abril



Continue Lendo