Corinthians teve maior média de público e renda com Cristóvão do que com Tite no Brasileirão



O Corinthians demitiu o técnico Cristóvão Borges após sequência de maus resultados que tiraram o time do G-4 do Brasileiro. O momento ruim com o ex-treinador não teve, entretanto, impacto negativo no público na Arena. Pelo contrário

Apesar de dois dos quatro piores públicos do ano terem ocorrido na “Era Cristóvão” (Vitória e Sport), o ex-treinador deixa o time com média de público no Brasileirão superior à de Tite, seu antecessor no comando.

Em quatro jogos em casa, o agora técnico da Seleção teve médias de 31 mil pagantes e R$ 1,6 bilhão em renda bruta. Já nas oito rodadas à frente do time, Cristóvão atingiu médias de 32 mil pagantes e R$ 1,8 bilhão em renda bruta.

À favor de Cristóvão estão partidas de grande público como Flamengo, São Paulo e Palmeiras. Já Tite teve apenas o clássico contra o Santos.

Técnico do Corinthians em apenas um jogo, contra o Botafogo, na Arena, logo após Tite assumir a Seleção, o técnico interino Fábio Carille supera os números dos outros dois treinadores. Contra o time carioca, a partida teve 34,7 mil pagantes e renda bruta de R$ 2 bilhões.

Veja abaixo as médias de público e renda dos três treinadores que comandaram o Corinthians no Brasileirão.

TITE (1ª, 3ª, 5ª e 6ª rodadas)
Média de Público: 31.063 pagantes
Média de Renda Bruta: R$ 1.615.090,00
Média de Renda Líquida: R$ 929.947,31

FÁBIO CARILLE (9ª rodada)
34.747 pagantes
Renda Bruta: R$ 2.023.396,50
Renda Líquida R$ 1.234.007,64

CRISTÓVÃO B. (11ª, 13ª, 15ª, 16ª, 19ª, 21ª, 23ª, 26ª Rodadas)
Média de Público: 32.068 pagantes
Média de Renda Bruta: R$ 1.788.456,19
Média de Renda Líquida: R$ 1.108.477,86

Colaborou: Alexandre Guariglia



MaisRecentes

Liga vê Copa do Nordeste com potencial para crescer e pagar mais aos clubes



Continue Lendo

Crise política breca MP que isenta atletas de cobrança previdenciária



Continue Lendo

Romário enviará relatório da CPI do Futebol ao Ministério Público da Espanha



Continue Lendo