WTorre ameaça mudar camarote do Palmeiras no Allianz Parque após confusão com Paulo Nobre



A confusão envolvendo o presidente do Palmeiras, Paulo Nobre, em que tentou tirar um torcedor rival do camarote de um patrocinador no Allianz Parque, no jogo contra o Flamengo, pode fazer o clube perder o seu atual espaço premium no estádio, um dos maiores da arena. A realocação do camarote é uma ameaça feita pela Real Arenas, empresa da WTorre que administra o estádio, em carta enviada ao dirigente, na última quinta-feira.

No documento enviado ao presidente do Palmeiras, a companhia dá um prazo de cinco dias para o clube informar as medidas que serão tomadas que a atitude do dirigente não ocorra novamente.

A Wtorre aponta que o episódio “lembra o que há de pior no futebol” por incitar a violência entre clubes rivais, e que “prejudica fortemente a imagem do Allianz Parque” prejudicando até mesmo a exploração comercial dos camarotes do estádio. O texto ainda chama os seguranças do clube de brutamontes.

Na ameaça de trocar o espaço premium do Palmeiras no Allianz, a Wtorre lembra que “tem concedido à SEP (Palmeiras), por gentileza e em ato de cortesia, camarote no melhor lugar da Arena, desde a sua abertura, e em detrimento dos seus próprios ganhos”.

Por meio de sua assessoria, o Palmeiras confirma a notificação feita pela WTorre e que iria consultar o departamento jurídico sobre a questão envolvendo o camarote.

Mesmo que a Wtorre mude o local do camarote do Palmeiras de lugar, Paulo Nobre continuará assistindo aos jogos do time no mesmo local da confusão, na última quarta, já que o dirigente é dono de um espaço premium que fica no centro do estádio. Ao lado de marcas de patrocinadores, seu camarote leva a inscrição “PAN”, iniciais de Paulo de Almeida Nobre.

A confusão envolvendo o presidente do Palmeiras começou após o Flamengo abrir o placar no jogo da última quarta. Ao perceber que um torcedor comemorou o gol Rubro-Negro, Nobre foi até o camarote de um patrocinador ao lado do seu e mandou os seguranças retirarem o torcedor do local. Um vídeo foi divulgado na internet com a revolta do dirigente, que pediu desculpas no dia seguinte em nota divulgada pelo clube.

Essa é apenas mais uma das várias polêmicas entre o Palmeiras e a Wtorre, que ficou responsável pela gestão do Allianz Parque por um período de 30 anos. A principal é a arbitragem que está em andamento que irá julgar, entre outros pontos divergentes, a quem compete a venda de cadeiras do estádio.

Colaborou: Thiago Ferri



MaisRecentes

Renovação do atacante Talles Magno com o Vasco está bem encaminhada



Continue Lendo

Rodrigo Caetano surge como opção caso Alexandre Mattos deixe o Palmeiras



Continue Lendo

Caso vire empresa, investidores podem quitar dívida do Botafogo em até cinco anos



Continue Lendo