Após filas, Rio-2016 corre para aumentar policiais até o início dos Jogos



As filas que chegam a 30 minutos no acesso ao Parque Olímpico antes mesmo do início dos Jogos têm pressionado a organização do evento por um maior efetivo de policiais que atuam nos raios-x dos locais oficiais. O problema foi causado pelo rompimento do contrato da empresa Artel, na semana passada, e que obrigou o governo a editar medida provisória para convocar policiais de última hora.

Ontem, faltando três dias para o início dos Jogos, filas na entrada do Parque Olímpico ocorreram principalmente na parte da manhã. Por conta disso, mais de 1 mil policiais estão sendo preparados ao longo desta semana e a expectativa é que todo o efetivo esteja pronto até o dia da abertura do evento, na sexta. Os policiais estão sendo convocados de três corporações da Polícia Militar: Corpo de Bombeiros, Departamento Penitenciário (Depen) e policiais da reserva.

– São oficiais que já têm experiência mas precisam passar por atualização. Estamos seguindo o cronograma e a previsão é que em dois dias tenhamos 100% deles atuando – afirmou Antônio Gonçalves, da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos (Sesge), do Ministério da Justiça.

Segundo Gonçalves, os primeiros 300 policiais militares capacitados para o evento passaram a atuar no último domingo, no Maracanã, durante o ensaio da Cerimônia de Abertura.

– Hoje (ontem) já temos 600 e até sexta teremos mais de 1 mil oficiais prontos para o evento – comentou.



MaisRecentes

Levir Culpi x Fluminense: processo vira segredo de Justiça



Continue Lendo

Copa América-2019: Impasse contratual aumenta atraso na organização



Continue Lendo

‘Momento é delicado e precisamos reorganizar o esporte’, avalia João Derly



Continue Lendo