Médico português deixa de trabalhar em autoridade de doping



Por Rafael Valesi

O português Luis Horta não trabalha mais na Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), na qual exercia a função de consultor internacional contratado pela Unesco para a secretaria de combate ao doping no país. Horta optou por não renovar seu contrato de trabalho, que iniciaria no dia 2 deste mês, com o Ministério do Esporte.

O médico especialista em medicina esportiva trabalhava diretamente com Marco Aurélio Klein, que era o secretário da ABCD, mas foi exonerado no mês passado pelo ministro Leonardo Picciani. Horta seguirá trabalhando no combate ao doping, mas deverá deixar o Brasil até o fim do mês.

Picciani destituiu Klein após o Laboratório Brasileiro de Controle de Dopagem (LBCD), situado no Rio de Janeiro e onde as análises dos exames antidoping dos Jogos Rio-2016 seriam realizados, perder sua credencial junto à Agência Mundial Antidoping (Wada). A agência internacional deve anunciar até o início da próxima semana se o LBCD será ou não recredenciado.



MaisRecentes

Globo vê obstáculos na ‘pressa’ da CBF para implantar árbitro de vídeo



Continue Lendo

Procurador do STJD não vê brecha para futura reclamação por causa do árbitro de vídeo



Continue Lendo

Eurico exalta árbitro de vídeo no Brasileiro: ‘Antes tarde do que nunca’



Continue Lendo