Médico português deixa de trabalhar em autoridade de doping



Por Rafael Valesi

O português Luis Horta não trabalha mais na Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), na qual exercia a função de consultor internacional contratado pela Unesco para a secretaria de combate ao doping no país. Horta optou por não renovar seu contrato de trabalho, que iniciaria no dia 2 deste mês, com o Ministério do Esporte.

O médico especialista em medicina esportiva trabalhava diretamente com Marco Aurélio Klein, que era o secretário da ABCD, mas foi exonerado no mês passado pelo ministro Leonardo Picciani. Horta seguirá trabalhando no combate ao doping, mas deverá deixar o Brasil até o fim do mês.

Picciani destituiu Klein após o Laboratório Brasileiro de Controle de Dopagem (LBCD), situado no Rio de Janeiro e onde as análises dos exames antidoping dos Jogos Rio-2016 seriam realizados, perder sua credencial junto à Agência Mundial Antidoping (Wada). A agência internacional deve anunciar até o início da próxima semana se o LBCD será ou não recredenciado.



MaisRecentes

CBF aumenta gasto com federações e com as quatro Séries do Brasileiro



Continue Lendo

Flamengo x Botafogo tem prejuízo maior do que Fluminense x Vasco



Continue Lendo

‘Queremos uma identidade para a arbitragem’, diz chefe do apito na CBF



Continue Lendo