Clubes enviam ofício ao Ministério do Esporte contra procurador do STJD na presidência da Apfut. Schmitt rebate



Presidentes de treze clubes do futebol brasileiro assinaram um ofício contra a indicação do atual procurador-geral do STJD, Paulo Schmitt, para assumir a presidência da Autoridade Pública de Governança do Futebol (Apfut). O documento foi enviado ao ministro do Esporte, Leonardo Picciani, no início da tarde desta terça-feira, 21.

O ofício é assinado pelos presidentes de Corinthians, Palmeiras, São Paulo, Santos, Flamengo, Fluminense, Vasco, Botafogo, Cruzeiro, Grêmio, Internacional, Joinville e Atlético Paranaense. No documento, os dirigentes apontam que “os princípios que vem sendo adotados em prol do aprimoramento de gestão, profissionalização e transparência potencializam a necessidade de mudança em todas as esferas” e que a nomeação de Schmitt para a Apfut “caminharia em direção diametralmente oposta” a essas iniciativas.

A intenção do Ministério do Esporte em nomear o procurador-geral do STJD como presidente da Apfut foi publicada pela ESPN, na última sexta-feira, 17.

Essa é a segunda vez que os principais clubes de futebol do país se posicionam contra Schmitt em menos de três meses. No final de março, os dirigentes assinaram uma carta pedindo o afastamento do procurador-geral do STJD do cargo após vazamento de documentos que indicavam a interferência da CBF nos julgamentos do órgão.

A Apfut foi criada através da Lei do Profut para fiscalizar os clubes no cumprimento das exigências do programa de refinanciamento de dívidas fiscais junto à União. O cargo de presidente do órgão, assim como dos outros quatro membros indicados pelo governo, estão vago desde que Michel Temer assumiu a presidência do país interinamente.

Procurado para comentar a iniciativa dos clubes, Paulo Schmitt enviou a seguinte resposta à coluna:

“Na verdade a atuação da procuradoria se pauta pela fiscalização da Lei e da Ordem Disciplinar Desportiva na proteção daqueles que as cumprem, portanto quem nada deve não tem porque ter receio de mim ou qualquer outro que atue em benefício dos que observam as normas para um esporte livre da violência, fraude ou manipulações. Não sei porque tanto receio, vou apenas terminar meu mandato e seguir na advocacia e em outros projetos. Mas até esse final que está bem perto ninguém terá vida fácil se praticar infração, depois disso depende de quem vai entrar. Quanto as bobagens que veiculam e desavisados acreditam pouco há o que dizer, nunca estive envolvido em nenhum escândalo que não tenha sido orquestrado por descontentamento face ao rigor com que exerço minhas atribuições na Procuradoria. Ingressos da Copa? Federações, TJDs e mesmo eles clubes tiveram a mesma linha de compra que todos do STJD. Basquete? Estou esperando os milhões, serão aliás muito bem vindos pois a CBB não consegue me pagar apesar de eu continuar prestando assessoria normalmente tem muito tempo, passa por sérias dificuldades financeiras originadas de ruptura imotivada de patrocínio estatal, o que está sendo discutido judicialmente. Influência em decisões do tribunal como se eu fosse um lobista de sentença condenatória? Procurador = Acusador. Deve ser alguma piada, já houve arquivamento dessa besteira. Terão que ser mais criativos, aliás se algum clube falar bem de mim na função desconfiem, não estamos nesse cargo para fazer amigos. Não tem esquema nem arrego. Enfim, não precisa medo, respeito basta. Fico até lisonjeado com tantas homenagens e a capacidade que eles adquiriram para se reunir em torno de uma causa, mesmo que seja em meu desfavor. Quiça o fizessem para cumprir as leis e contribuir para a diminuição da violência de seus seguidores, a qual são diretamente responsáveis por força de normas nacionais e internacionais, gostem de mim ou não”.

Colaborou Thiago Ferri



  • MarcosKormann

    Os clubes fizeram muito bem. Estranho é este “procurador” estar solto..

  • Milton Cavalcanti

    OS CLUBES TEM QUE PARAR ATÉ ESSE CARA VAZAR..É UM SEM VERGONHA QUE SÓ QUER APARECER

  • José Carlos Cataldo de Barros

    É só foi o Flamengo e Palmeiras assinarem este Ofício ao Ministério do Esporte para que o bando de procuradores em represália se manifestasse e recorresse para punir os dois clubes sobre o episódio ocorrido em Brasília. Essa Máfia de Dirigentes e Procuradores do STJD tem que ser extirpada do nosso futebol. Abraços

  • Alessandro

    Esse cara é vergonhoso, por lei ele já deveria ter saído a muito tempo, ou seja, está no comando ilegalmente, passou da hora de modificar o STJD e essa procuradoria, não ajudam em nada para melhoria do esporte.

  • Esse Schimit faz parte do bando da CBF, ou seja, corrupto!!

  • Claudio

    FORA SCHMIDT!!…CHEGA..BASTA!!…FORA!!

  • Palmeiras_forever

    Até que enfim este sujeito recebeu o enquadramento que merece… Espero que seja devidamente investigado, não com o “rigor” que diz ter usado, mas com a justiça imparcial que deveria ter sido sua ferramenta e nunca foi…

MaisRecentes

Tícket médio dos jogos do Brasileirão-2016 teve queda de 10%, aponta estudo



Continue Lendo

ABCD crê em recredenciamento junto à Wada até abril



Continue Lendo

Flamengo terá superávit de R$ 146 milhões em 2016, aponta banco



Continue Lendo