CPI do Futebol cita ‘pressão política’ para impedir volta de Romero Jucá à relatoria



De volta ao Senado após deixar o Ministério do Planejamento, Romero Jucá retoma automaticamente o posto de relator da CPI do Futebol, conforme consta no regimento interno. Entretanto, o senador não terá sossego na Comissão que investiga irregularidades na CBF. Segundo pessoas ligadas à CPI, uma “pressão política” está sendo articulada para que Jucá não retome a posição de relator da CPI. Principal defensor da ideia, Romário, que preside a Comissão, não tem poder de veto à volta de Jucá.

Além das investigações na Lava Jato, os membros que são contra o retorno de Romero Jucá à CPI do Futebol também vão argumentar que o senador já entregou o seu relatório. Há duas semanas, já sabendo de sua nomeação por Michel Temer para ser ministro do Planejamento, Jucá entregou um relatório de 380 páginas dois meses antes do término do prazo final da CPI sem incriminar nenhum dirigente da CBF.



MaisRecentes

Técnicos articulam pela redução de demissões no Brasil. Alguns cogitam até ‘boicote’



Continue Lendo

Dirigente do Flu reconhece excesso de jovens no elenco: ‘Ideal é ter mescla’



Continue Lendo

Com Under Armour, Fluminense tem menos uma dor de cabeça



Continue Lendo