CPB rebate o governo de SP e tenta reverter gestão do Centro Paralímpico



O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) negocia com o governo de São Paulo uma revisão do acordo de gestão do Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro, que foi inaugurado ontem, na capital paulista. Segundo a entidade, “o objetivo é que o CPB possa fazer a gestão do CT como havia sido combinado desde as primeiras tratativas antes mesmo do início das obras”.

A posição do Comitê ocorre no mesmo dia que o governo de São Paulo publicou no Diário Oficial o decreto sobre a utilização do centro esportivo, cujo investimento total foi de R$ 305 milhões. No documento, a administração estadual utiliza a expressão “permissão de uso” ao CPB por um período de 12 meses. Após esse prazo, uma nova consulta pública será realizada para firmar uma nova parceria.

Em e-mail divulgado à imprensa na tarde desta terça-feira, o governador Geraldo Alckmin afirmou que “o Comitê Paralímpico Brasileiro vai fazer a manutenção das atividades. Mas, o local também está aberto aos clubes e outras entidades com a mesma finalidade. Ou seja, é para todos que necessitem, pois será um grande centro pra servir o Brasil”.

Veja abaixo a íntegra da posição do Comitê Paralímpico:

“O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) está em contato com a secretaria de governo do Estado de São Paulo e espera resolver a questão do Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro o mais brevemente possível. O objetivo é que o CPB possa fazer a gestão do CT como havia sido combinado desde as primeiras tratativas, antes mesmo do início das obras”.

Colaborou Rafael Valesi



  • Rodolfo

    Essa família Picciani tem é que ser investigada. No Rio de Janeiro foi criado um cartel, bem a cara do PMDB, por sinal. As obras e as licitações são armadas e entregues a essa corja e esses ladrões.estão enriquecendo cada vez mais com o dinheiro público.

MaisRecentes

STJD nega pedido do Vasco de efeito suspensivo em perdas de mando



Continue Lendo

Técnicos articulam pela redução de demissões no Brasil. Alguns cogitam até ‘boicote’



Continue Lendo

Dirigente do Flu reconhece excesso de jovens no elenco: ‘Ideal é ter mescla’



Continue Lendo