Turner não chega a acordo com Band e fica sem jogos na TV aberta



Entrou água no negócio entre a Turner e a Band, que chegou a ser dado como certo na semana passada. Os negociadores americanos e a família Saad não chegaram a um acordo de governança que viabilizaria a entrada do grupo de Ted Turner na gestão da rede brasileira. Não ficou claro como Turner, que passaria a ter 30% do capital da Band (limite estabelecido pela lei brasileira) poderia, de fato, exercer o comando da emissora, o que provocou o recuo do grupo americano.

A compra era vista como estratégica para a Turner entrar na transmissão de eventos esportivos na TV aberta e as negociações com a Band teriam motivado o fim da parceria da emissora paulista com a Globo na transmissão do Campeonato Brasileiro.

E bom lembrar que as amarras da lei brasileira que limitam a participação de estrangeiros a 30% do capital de empresas de comunicação não se aplica aos canais de TV por assinatura, um mercado dominado pelos grandes grupos globais, como Fox, HBO e Disney. A própria Turner, no ano passado, anunciou a compra do Esporte Interativo, além de manter outros canais em segmentos fora do esporte.



MaisRecentes

Clube da China deve fazer proposta ao Palmeiras para contratar Deyverson



Continue Lendo

Bittencourt é o primeiro presidente do Fluminense a apresentar dirigentes da base em Xerém



Continue Lendo

Pela primeira vez, desde que assumiu a CBF, Rogério Caboclo participará de um programa ao vivo



Continue Lendo