Para diretor da Primeira Liga, América do Sul pode ter ‘onda’ de ligas nacionais



Diretor jurídico da Primeira Liga, o advogado Eduardo Carlezzo apontou que a iniciativa dos clubes brasileiros de futebol de criar uma entidade independente pode “destravar” um movimento de criação de ligas nacionais pela América do Sul. A avaliação de Carlezzo deve-se às negociações na Argentina envolvendo Boca Juniors, River Plate, San Lorenzo, Racing, entre outros, de criar a Superliga, entidade que seria independente da AFA (Associação de Futebol da Argentina), com quem romperam nesta semana.

– É grande a insatisfação dos clubes com suas federações e se os argentinos forem bem sucedidos, será uma onda difícil de segurar – comentou o diretor jurídico da Primeira Liga, cujo torneio, a Copa da Primeira Liga, foi realizado este ano sem a chancela da CBF e federações estaduais mas que entrará no calendário oficial do futebol brasileiro a partir da próxima temporada.

Além das ligas nacionais, os clubes do continente estão discutindo desde o início do ano a criação de uma liga sul-americana para fazer frente à Conmebol. Nesta quinta-feira, 19, houve uma reunião em Assunção, no Paraguai, mas divergências entre dirigentes brasileiros e representantes de outros países pode fazer o Brasil ficar de fora da entidade.



MaisRecentes

Agência irá recorrer de decisão que tirou campanha do Flamengo do ar



Continue Lendo

CBF manda representante para Salvador para acompanhar arbitragem da final da Copa do Nordeste



Continue Lendo

Sindicato cria norma para repassar direito de arena a atletas em até 5 anos



Continue Lendo