Atletas pelo Brasil critica uso do Ministério do Esporte em ‘barganha política’



No primeiro dia após a posse do novo ministro do Esporte, Leonardo Picciani, a Atletas pelo Brasil fez duras críticas à falta de seriedade dos dirigentes políticos com a pasta esportiva, que para a associação de atletas “é sempre usada na barganha política”.

“Devemos exigir de nossos representantes que o país esteja sempre em primeiro lugar, acima de interesses pessoais e partidários”, diz trecho do comunicado da organização, que é composto por 59 atletas e ex-atletas como Ana Moser, Raí, Cafu, Gustavo Borges, Hortência e Oscar.

Em outro trecho do documento, a Atletas pelo Brasil aponta que “a nomeação dos ministros continua seguindo critérios puramente políticos para acomodação de partidos”, o que acarretaria em ineficiência de gestão, descontinuidade das políticas implementadas e maior custo aos cofres públicos.

Veja abaixo a íntegra do comunicado da Atletas pelo Brasil.

A Atletas pelo Brasil vem manifestar-se publicamente por uma maior seriedade de nossos dirigentes políticos na condução do país.

O momento de grande turbulência política sob o qual estamos vivendo pede uma reforma ampla no funcionamento de nosso sistema político e de como a gestão pública é feita. Devemos exigir de nossos representantes que o país esteja sempre em primeiro lugar, acima de interesses pessoais e partidários.

Precisamos avançar na melhoria de nossos quadros e na forma de gestão de nosso país. A nomeação dos ministros continua seguindo critérios puramente políticos para acomodação de partidos. Tal prática, na maior parte das vezes, traz consigo o aumento da ineficiência de gestão, descontinuidade das políticas implementadas, reinício de processos e tudo isso com custo às políticas públicas, ao nosso desenvolvimento, aos cofres públicos e a cada um de nós.

O Ministério do Esporte, infelizmente, é sempre usado na barganha política.

A Atletas pelo Brasil manifesta-se, mais uma vez, contra essa prática que não considera a experiência e competência do gestor no tema, mas a conveniência partidária.

Não é somente a corrupção que corrói nosso país.

Precisamos exigir que as políticas, os programas e as ações públicas atendam às necessidades do país e gerem desenvolvimento, melhorias e o fim das desigualdades sociais e econômicas. A política não pode ser um fim em si mesma, mas um meio para se conseguir o bem comum a todos.

Nossos gestores devem ser competentes, ter metas sociais e econômicas, indicadores e dados abertos que mostrem para onde estamos indo, atuar com transparência, e precisam também ser avaliados e fiscalizados de forma mais contundente. Afinal lidam com recursos de todos os brasileiros.

Nós, atletas e ex-atletas, formamos uma organização não governamental de Advocacy há 10 anos. Não recebemos recursos públicos. A Atletas pelo Brasil é constituída por 59 atletas voluntários e trabalha pela melhoria do Esporte no Brasil.

Desde 2009, atuamos para influenciar as decisões governamentais a fim de que haja uma legislação mais moderna, uma alocação de recursos mais eficiente, uma melhor gestão e transparência no Esporte. Porque o Esporte vai além do Esporte: é fator estratégico para o desenvolvimento humano e social com importante impacto na saúde, na educação e no planejamento urbano.

Registramos aqui nosso desacordo com a prática corrente de nomeação de ministros e pedimos maior compromisso com resultados concretos das políticas de esporte.

E como vimos fazendo há 10 anos, seguimos abertos para dialogar e continuaremos propondo, incentivando, fiscalizando e cobrando os gestores à frente da política esportiva.

Queremos a democratização do Esporte, por meio do seu acesso a toda população.

Queremos um Esporte de qualidade nas escolas, como ferramenta educacional.

Queremos um Sistema Nacional Esportivo eficiente, transparente, honesto.

Atletas pelo Brasil



MaisRecentes

Clubes citam preocupação com uso de vídeo sem testes na Libertadores



Continue Lendo

Apfut ajusta regra que trata de antecipação de receitas



Continue Lendo

CBF quer iniciar em agosto concorrência pelos direitos de TV da Seleção



Continue Lendo