Brasil negociou autorização para ouvir J. Hawilla nos EUA mas não teve sucesso



A CPI da Máfia do Futebol terá dificuldades para conseguir autorização para ir até os EUA para colher os depoimentos do ex-presidente da CBF, José Maria Marin, e do empresário J. Hawilla, dono da Traffic e responsável pelas denúncias de corrupção no futebol ao FBI, conforme requerimentos aprovados na sessão de ontem, em Brasília.

É que no ano passado, a Comissão do Esporte da Câmara dos Deputados negociou junto a autoridades americanas a autorização para que parlamentares fossem aos EUA para ouvir Hawilla. Membros da Comissão se reuniram por três vezes com a embaixadora americana no Brasil, Liliana Ayalde, e também acionaram o embaixador brasileiro nos EUA, Luiz Alberto Figueiredo. Mas apesar dos esforços, os parlamentares não tiveram sucesso na solicitação.

O argumento da embaixadora americana à solicitação é que não poderia interferir no processo que corre em sigilo nos EUA. O pedido foi realizado quando havia apenas um requerimento para a criação da CPI da Máfia do Futebol (ainda denominada de CPI da Fifa).

À época, José Maria Marin não foi incluído no pedido para depor pois ainda estava preso na Suíça.



MaisRecentes

Campanha ajuda Fortaleza a trazer de volta atacante Osvaldo



Continue Lendo

Ferj se surpreende com informalidade da prefeitura do Rio de Janeiro



Continue Lendo

Elenco do Palmeiras pede por Deyverson, Felipão dá chance, mas diretoria quer negociá-lo



Continue Lendo