CPI da Máfia do Futebol aprova depoimentos dos presidentes da Fifa e Conmebol, convoca pai de Neymar e irá aos EUA para ouvir Marin e J. Hawilla



Em sessão realizada na tarde desta terça-feira, 26, a CPI da Máfia do Futebol aprovou 23 dos 24 requerimentos que estavam na pauta da audiência. Entre as medidas aprovadas estão os convites para depoimentos dos presidentes da Fifa, Gianni Infantino, e da Conmebol, Alejandro Dominguez, além da convocação para irem à Brasília do técnico Dunga e do empresário Neymar da Silva Santos, pai do craque Neymar.

Na sessão também foi aprovada a criação de uma comitiva de membros da Comissão para ir aos Estados Unidos para colher os depoimentos do ex-presidente da CBF, José Maria Marin, e do empresário e dono da agência Traffic, J. Hawilla, responsável pelas denúncias de corrupção no futebol envolvendo a Fifa e a CBF.

Como Marin e Hawilla estão presos nos Estados Unidos, a Comissão entrará em contato com as autoridades americanas para saber a possibilidade de ouví-los para as investigações.

– Temos que ter cuidado para não receber um não das autoridades dos EUA e voltar de mãos vazias de lá – comentou o presidente da CPI da Máfia do Futebol, o deputado Laudivio Carvalho (SD-MG).

O único requerimento que foi retirado da pauta foi o que solicitava à Rede Globo cópias de todos os contratos de direitos de transmissão com a CBF. Os membros da Comissão decidiram não votar o documento pois seu autor, o deputado Major Olimpio (SD-SP), não estava presente. Segundo a assessoria da CPI, esse será o primeiro requerimento votado na próxima sessão.



  • Jorge Guerreiro

    Aí pega um para pato, condena e esquece todos os outros. A corrupção está no povo brasileiro que aceita cesta básica, bolsa família e outros programas.

    • parou uma guerra

      O povo não aceita porque quer, aceita pelo motivo de governos anteriores terem sidos omissos e corruptos também, e terem esquecidos do povo.

MaisRecentes

Levir Culpi x Fluminense: processo vira segredo de Justiça



Continue Lendo

Copa América-2019: Impasse contratual aumenta atraso na organização



Continue Lendo

‘Momento é delicado e precisamos reorganizar o esporte’, avalia João Derly



Continue Lendo