CBF fica pessimista sobre liberação do árbitro de vídeo em jogos oficiais de 2016



Pelo andar das discussões entre os países candidatos a colocar em prática os testes do árbitro de vídeo e a Fifa, a CBF está pessimista em relação à autorização da entidade para que o vídeo seja usado de forma oficial nas partidas ainda em 2016.

Inicialmente, a CBF acreditava que receberia o aval para testar já a partir do segundo turno da Série A deste ano. A alternativa que está no horizonte, segundo a tendência sentida nas reuniões recentes, é iniciar em 2016 os testes offline, ou seja, sem que haja comunicação entre o árbitro de vídeo e a equipe de arbitragem durante o jogo. Portanto, nada de interferência nas partidas.

A Fifa, pelo andamento da carruagem, poderia autorizar eventualmente o árbitro de vídeo – para valer – em amistosos. A chancela da entidade, que prometeu enviar nos próximos às associações interessadas o protocolo do árbitro de vídeo, se daria somente em 2017.

Outra questão que está motivando cautela da entidade máxima do futebol é que diversos países candidatos a testar a tecnologia não estão com projetos tão amadurecidos como Holanda e Brasil, por exemplo.

A CBF, apesar do pessimismo sobre a entrada em vigor dos testes em 2016, segue planejando como viabilizar o uso da tecnologia. Uma das questões é de onde virá as imagens para a análise dos árbitros de vídeo. As conversas com a Globo estão prosseguindo. Se fechar com a emissora, a CBF economizará. Contratar uma empresa específica para gerar imagens fica mais caro.



MaisRecentes

Grupos respeitam luto por Eurico, mas rearrumação política está em curso



Continue Lendo

Botafogo-SP cobra isonomia em promoção no confronto contra o Mirassol-SP



Continue Lendo

Evento de e-Sports terá análise sobre o mercado para empresas



Continue Lendo