Adequação ao calendário europeu não ganha muita força na CBF



As discussões no Comitê de Reformas da CBF sobre uma possível adaptação do calendário brasileiro ao europeus tem mais obstáculos do que benefícios listados.

Argumentos contrários à mudança são diversos. Além de questões já conhecidas, como a dificuldade de colocar jogos em dezembro e janeiro – por causa do calor -, os membros levantaram a questão de não ser viável mudar só os profissionais sem que seja alterado o calendário das categorias de base. E isso traria problema pela disparidade com o calendário escolar, prejudicando a participação dos jogadores.

No ponto de vista dos negócios, os representantes dos clubes citaram que a cultura no Brasil é de fechar acordos anuais com patrocinadores e não de julho a julho. Essa diferença de “compasso” poderia gerar problemas aos cofres das equipes.

A decisão sobre a adequação ou não ao calendário europeu não é definitiva, já que as discussões sobre o tema vão continuar.



MaisRecentes

À espera de decisão da Justiça sobre eleição, oposição se movimenta no Vasco



Continue Lendo

Instituto Guga Kuerten consegue captar doações via ‘Clube do Patrocínio’



Continue Lendo

Grupos respeitam luto por Eurico, mas rearrumação política está em curso



Continue Lendo