Posição de brasileiros cria divergência e coloca em risco a Liga Sul-Americana de Clubes



Uma divergência entre os clubes brasileiros e o restante dos participantes da Liga Sul-Americana de Clubes coloca em risco a continuidade da recém-criada entidade que pretende fazer frente às atividades da Conmebol. O embate é em relação às diretrizes da Liga que serão inseridas no estatuto, principal tema debatido na reunião desta quinta-feira, 31, em São Paulo. Segundo apurou a coluna, há um grupo de sete clubes de outros países que já defendem a exclusão dos times brasileiros da nova entidade.

Entre as divergências está o modelo de administração da Liga Sul-Americana de Clubes. Enquanto o bloco do Brasil – que abrange os 12 grandes times do país – defende uma organização mais comercial, com um CEO à frente das entidades, os outros times do continente, liderados por dirigentes da Argentina e do Uruguai, querem manter um perfil mais político à Liga, conforme tem sido discutido desde a primeira reunião da entidade e da qual os brasileiros não participaram.

Outra questão que não houve consenso é em relação ao local da sede. Os brasileiros defendem que ela fique em São Paulo ou Porto Alegre, enquanto que o outro bloco defende as cidades de Buenos Aires ou Montevidéu.



  • fidutifo

    Finquem o pe, nao deixe os hispanos decidirem como fizeram com a Commebol que acabou sendo estabelecida no Paraguai ao invés no Brasil. Fomos e somos protagonistas e como tal deveremos assumir a posicao.

  • Carlos Alberto Anciutti Pessoa

    nossos clubes estão certos; ceo profissional, sede em palegre.

  • Vaaaai Timão

    Já começaram bem!

  • Alissom Coelho Maciel

    os dirigentes brasileiros é um faz-me rir danado, não conseguem criar uma liga amadora imaginem fazer parte de uma liga sul-americana, sem chance de acontecer, na Primeira Liga queriam dividir os poderes entre Petraglia A. Pr e Gilvan Cruzeiro o segundo deu piti e o resto da história todos sabemos tirou o Crüzeiro da liga, voltou depois desvalorizou a Liga ou seja só fez m&rd@, como ele querem entrar numa liga dessas? isso deveria ser só para Atlético MG, e Flamengo resolver as duas diretorias com mais credibilidade atualmente, são santos? não ponho minha mão no fogo mas pelas gestões de regularização e dívidas e etc são as melhorzinhas que estão tendo

  • Julio Cezar Carvalho

    São duas divergências simples de serem resolvidas, votação, simples assim, decisão mais democrática impossível.
    Não acredito que os doze clubes brasileiros estejam todos alinhados numa mesma posição, assim como também os demais clubes dos outros países.
    Se eu pudesse votar escolheria um CEO para a Liga, por ser mais profissional, e Montevidéu para a sede, já que o Uruguai é o país mais democrático da América do Sul.
    Só espero que não pensem numa sede em Brasília, aquilo ali é o caos, muito menos em um político, brasileiro ou estrangeiro, para a presidência da Liga.
    Saudações Tricolores Carioca!

MaisRecentes

Ana Paula Oliveira vê árbitro de vídeo como ajuda e confia em bom treinamento



Continue Lendo

Nuzman está inclinado a se explicar na Câmara sobre escândalo



Continue Lendo

CBV visita cidade que pode receber seleções de vôlei nos Jogos de 2020



Continue Lendo