Comitê de Reformas da CBF discute mudanças no colégio eleitoral



O colégio eleitoral da CBF está no centro das discussões do grupo de trabalho do Comitê de Reformas que está responsável por debater mudanças no estatuto da entidade. Este foi o principal tema debatido pelos membros designados do Comitê a discutir a atualização do documento, entre eles o presidente da Federação Baiana de Futebol (FBF), Ednaldo Rodrigues, e o advogado especialista em direito desportivo, Luiz Felipe Santoro.

O debate sobre o colégio eleitoral da CBF ocorre pouco mais de seis meses após a entidade ser obrigada a alterar o sistema de votos para eleger seus membros por medida sancionada no Profut. Nela, os 40 clubes das Séries A e B passaram a fazer parte do colégio eleitoral ao lado das 27 federações.

A mudança, entretanto, que previa tirar peso do voto das entidades estaduais na escolha dos dirigentes da CBF, falhou no pleito de dezembro passado que elegeu Coronel Nunes como vice-presidente da entidade em manobra de Marco Polo Del Nero para evitar que seu desafeto Delfim Peixoto assumisse a CBF durante sua licença.

Além do colégio eleitoral, também está na mesa de debates do grupo de trabalho do Comitê de Reformas as condições para se candidatar a cargos da entidade, que pode vetar, por exemplo, quem já atua em outras entidades desportivas.



MaisRecentes

Final com Flamengo bate recorde de audiência do futebol na Globo em 2017



Continue Lendo

Inclusão de técnicos no fair play financeiro da Série A entrará em pauta para 2018



Continue Lendo

Flamengo aprova orçamento de 2018 com verba tímida para contratações



Continue Lendo