Troca no Ministério do Esporte: ‘House of Cards no Brasil é seriado infantil’



Parece até roteiro de ficção, digno do Netflix, mas a dança das cadeiras no Ministério do Esporte é a mais cristalina das realidades políticas brasileira.

O PRB tinha brigado com o governo. O ministro George Hilton, então, pulou fora do barco, arrumou um bote chamado PROS para se manter a salvo até a Rio-2016. O que ele não contava é que o PRB voltasse às boas com o governo, derrubando o bote e ministro junto, recuperando para si o comando da pasta.

Cena de seriado importante dos EUA.

Um interlocutor do blog em Brasília fez o diagnóstico: “House of Cards no Brasil é seriado infantil”.

De fato, a política aqui não é para crianças. Coisas que até Frank Underwood duvidaria.

George Hilton deixa de fazer parte do elenco principal às vésperas do “season finale” que é a Rio-2016. Volta para o Congresso como deputado federal desprestigiado e sem colete salva-vidas.

ATUALIZAÇÃO:

O PRB emitiu uma nota oficial na manhã desta quarta-feira negando que tenha se reaproximado do governo e reafirmando a posição independente. A legenda reforça que “os três secretários indicados pelo partido – Marcos Jorge, Rogerio Hamam e Carlos Geraldo – já colocaram os respectivos cargos à disposição. Eles permanecem nos cargos aguardando a indicação dos substitutos para que o trabalho não seja prejudicado”. 



MaisRecentes

Campanha ajuda Fortaleza a trazer de volta atacante Osvaldo



Continue Lendo

Ferj se surpreende com informalidade da prefeitura do Rio de Janeiro



Continue Lendo

Elenco do Palmeiras pede por Deyverson, Felipão dá chance, mas diretoria quer negociá-lo



Continue Lendo