Vice da CBF recebeu caixa dois da entidade para se eleger prefeito em Alagoas



Vice-presidente da CBF, Gustavo Feijó recebeu pelo menos R$ 350 mil em caixa dois da entidade que comanda o futebol brasileiro para a campanha em que se elegeu prefeito da cidade de Boca da Mata, em Alagoas, nas eleições de 2012. É o que aponta a CPI do Futebol com base em troca de e-mail entre Feijó e Marco Polo Del Nero, então vice-presidente da entidade que era comandada por José Maria Marin.

No documento obtido pela Comissão que investiga irregularidades na CBF e no Comitê Organizador Local da Copa-2014, Feijó diz a Del nero que havia combinado com o então presidente da entidade, Ricardo Teixeira, o repasse financeiro para ajudar em sua campanha. Entretanto, fala que recebeu apenas duas parcelas, uma de R$ 300 mil e outra de R$ 50 mil, e que faltam ainda R$ 250 mil do valor acordado.

Na troca de emails, Del Nero pede para que o diretor financeiro da CBF, Antônio Osório, citado na mensagem por Del Nero como “Zozó”, para que providencie o valor solicitado por Feijó. À Justiça Eleitora, o dirigente alagoano declarou uma receita de apenas R$ 130 mil para sua campanha e a CBF não aparece como doadora.

A CPI do Futebol aponta que o “caso é grave”, e que além de comprovar a realização de caixa dois por parte da CBF diz também haver indícios de estelionato pelo repasse ser um roubo da entidade.

A coluna tentou falar com o vice-presidente da CBF, Gustavo Feijó, mas as ligações não foram atendidas.



MaisRecentes

Clubes citam preocupação com uso de vídeo sem testes na Libertadores



Continue Lendo

Apfut ajusta regra que trata de antecipação de receitas



Continue Lendo

CBF quer iniciar em agosto concorrência pelos direitos de TV da Seleção



Continue Lendo