Vice da CBF recebeu caixa dois da entidade para se eleger prefeito em Alagoas



Vice-presidente da CBF, Gustavo Feijó recebeu pelo menos R$ 350 mil em caixa dois da entidade que comanda o futebol brasileiro para a campanha em que se elegeu prefeito da cidade de Boca da Mata, em Alagoas, nas eleições de 2012. É o que aponta a CPI do Futebol com base em troca de e-mail entre Feijó e Marco Polo Del Nero, então vice-presidente da entidade que era comandada por José Maria Marin.

No documento obtido pela Comissão que investiga irregularidades na CBF e no Comitê Organizador Local da Copa-2014, Feijó diz a Del nero que havia combinado com o então presidente da entidade, Ricardo Teixeira, o repasse financeiro para ajudar em sua campanha. Entretanto, fala que recebeu apenas duas parcelas, uma de R$ 300 mil e outra de R$ 50 mil, e que faltam ainda R$ 250 mil do valor acordado.

Na troca de emails, Del Nero pede para que o diretor financeiro da CBF, Antônio Osório, citado na mensagem por Del Nero como “Zozó”, para que providencie o valor solicitado por Feijó. À Justiça Eleitora, o dirigente alagoano declarou uma receita de apenas R$ 130 mil para sua campanha e a CBF não aparece como doadora.

A CPI do Futebol aponta que o “caso é grave”, e que além de comprovar a realização de caixa dois por parte da CBF diz também haver indícios de estelionato pelo repasse ser um roubo da entidade.

A coluna tentou falar com o vice-presidente da CBF, Gustavo Feijó, mas as ligações não foram atendidas.



MaisRecentes

Nuzman está inclinado a se explicar na Câmara sobre escândalo



Continue Lendo

CBV visita cidade que pode receber seleções de vôlei nos Jogos de 2020



Continue Lendo

Botafogo deixa a Libertadores com R$ 13,4 milhões pela participação



Continue Lendo