Estatuto da CBF é ferido em votação da Série C, e resultado gera polêmica



A votação do conselho técnico da Série C, realizada nesta terça-feira, não obedeceu o estatuto da CBF. Na discussão sobre a possibilidade de aplicação de uma nova fórmula de cruzamento nas quartas de final, a contagem de votos, segundo vários dirigentes ouvidos após a reunião, foi unitária e não qualitativa, de acordo com os artigos 58 e 59 do documento.

estatuto 58 59

A novela não é simples.

A proposta era que as quartas de final fossem formadas por confrontos entre times do mesmo grupo. Assim, duas vagas na Série B já estariam asseguradas para o bloco Norte/Nordeste/Centro-Oeste, defensor da ideia.

Na contagem de votos um por um, o placar da primeira rodada deu 10 a 10. Aí, para desempatar, todo mundo teve que “reconfirmar” a posição. Então, o Macaé mudou de ideia, deixando o placar 11 a 9 para o “não” à mudança de regulamento.

MAAAS…

A questão é que os artigos do estatuto da CBF falam expressamente que os votos nos conselhos técnicos, independentemente de divisão, são qualitativos, ou seja, um peso é dado de acordo com a classificação dos times no campeonato anterior.

Olhando o simples 11 a 9 e levando esse placar para o voto qualificado, o resultado final não seria alterado: 113 a 97 para o “não”.

Mas a segunda votação só ocorreu porque houve um “falso” empate em 10 a 10.

Com o Macaé apoiando a mudança de cruzamentos, a causa do Norte/Nordeste seria a vencedora, com o placar de 117 a 93.

NÃO PARA POR AÍ…

A história ainda tem outro ingrediente. Defensora do “11 a 9”, a CBF leva em conta o critério de atribuir aos times que caíram da Série B as quatro maiores pontuações (Macaé, 20, ABC, 19, Boa, 18 e Mogi, 17). É por essa visão que o 113 a 97 é a conta final.

No entanto, há no lado derrotado a tese de que aos quatro rebaixados são atribuídas pontuações inferiores aos que permaneceram na Série C. E aí, mesmo com o “11 a 9”, a vitória no qualitativo permaneceria com o Norte/Nordeste, com 109 votos a favor.

O que diz o estatuto da CBF sobre a atribuição de pontos aos rebaixados? Nada. E por isso a divisão de teses.

CRITÉRIO DA SUL-AMERICANA COMO BASE?

Se a CBF levar o critério da distribuição das vagas brasileiras na Copa Sul-Americana como base, os rebaixados a uma determinada divisão têm vantagem técnica em relação aos que permaneceram em uma divisão inferior. A passagem das vagas da Sul-Americana tem a seguinte ordem: os quatro que subiram, os quatro que desceram, o restante que permaneceu na Série B.

E AGORA?

Vice-presidente da CBF, Gustavo Feijó saiu falando pelos corredores da entidade que a votação não tinha sido correta, mas afirmou que não teve a oportunidade de contestar durante o conselho porque o presidente Reinaldo Carneiro Bastos, que conduziu os trabalhos, não deu oportunidade para debate. Os dirigentes do bloco Norte/Nordeste analisam a possibilidade de recorrerem da decisão, mas sequer sabem qual instância acionar.



MaisRecentes

Oposição se enfurece com Bandeira de Mello e pode pedir a sua exclusão do Flamengo



Continue Lendo

Luiz Felipe Scolari pode ter contrato estendido até 2022 e depois virar manager



Continue Lendo

CBF deve se reunir com clubes para falar de manifestações políticas



Continue Lendo