Conmebol segue sem dar explicações ao presidente do Tribunal Disciplinar sobre anistia



O presidente do Tribunal Disciplinar da Conmebol, Caio Rocha, ainda está aguardando uma resposta do diretor geral da entidade sul-americana, Gorka Villar, sobre a anistia dada a clubes e jogadores punidos pela corte judiciária, entre eles o Boca Juniors. Caio não concordou com a decisão da direção da Conmebol, mas, por ora, segue no cargo, ao contrário do que fez o vice do Tribunal, o uruguaio Adrian Leiza.

A Conmebol usou um parecer da Comissão de Assuntos Legais para tentar uma base jurídica para a anistia. O representante brasileiro no grupo é Alvaro Melo Filho, que foi voto vencido. Ele, amparado pela CBF, era contra o perdão generalizado. Mas a pressão dos argentinos acabou pesando mais. O sentimento nos bastidores da Conmebol é que foi uma clara medida política e não jurídica.



MaisRecentes

Fernanda Colombo deixa a arbitragem, lança livro e quer ser comentarista



Continue Lendo

Audiência pública promete pressionar políticos contra MP que retira recursos do esporte



Continue Lendo

Técnico brasileiro Milton Mendes renova mais alta licença da Uefa para técnicos



Continue Lendo