Leco rebate Abílio Diniz por auditoria no futebol do São Paulo



O presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, enviou na noite de ontem um email para todos os conselheiros do clube rebatendo a afirmação do empresário Abílio Diniz de que a diretoria de futebol tem dificultado o trabalho de auditoria que está sendo realizado ao não entregar documentos e impedir o acesso a informações do departamento. No documento, o dirigente são-paulino diz que “são desprovidas de fundamento as ilações de que o departamento de futebol estaria dificultando um trabalho que é do nosso total interesse”.

O email enviado por Leco aos conselheiros são-paulinos foi motivado pelas críticas feitas por Abílio em seu blog na última sexta-feira, 12. No post intitulado “Transparência e participação podem mudar o jogo”, o empresário ressalta que está “arcando com os custos de duas das mais importantes consultorias do mundo”, a PricewaterhouseCoopers (PwC) e a McKinsey, e diz que “as consultorias estão avançando nas auditorias que revelarão a verdadeira situação do clube, mas elas não conseguem informação nem espaço para trabalhar no futebol. Parece não haver interesse dos atuais dirigentes na abertura para coisas novas e na transparência”. No mesmo dia em que publicou o texto, Abílio o encaminhou para todos os conselheiros são-paulinos.

O embate entre Leco e Abílio em relação ao departamento de futebol do São Paulo tem sido motivado também pela perda de espaço dentro do clube do ex-coordenador técnico Milton Cruz. Muito próximo ao empresário, Cruz passou a atuar no recém criado núcleo de análise de desempenho, cargo que é visto por muitos dentro do clube como uma forma de afastar o profissional do futebol são-paulino.

As divergências entre o presidente do São Paulo e o empresário, que também é conselheiro do clube, ocorrem após ambos terem atuado juntos para a queda do ex-presidente Carlos Miguel Aidar, que renunciou ao cargo em outubro do ano passado.



MaisRecentes

Renovação do atacante Talles Magno com o Vasco está bem encaminhada



Continue Lendo

Rodrigo Caetano surge como opção caso Alexandre Mattos deixe o Palmeiras



Continue Lendo

Caso vire empresa, investidores podem quitar dívida do Botafogo em até cinco anos



Continue Lendo