Dirigente corintiano contesta sistema de votos na CBF



Mesmo com as mudanças no colégio eleitoral da CBF impostas pelo Profut, em que os 40 clubes das Séries A e B passaram a se juntar às 27 federações, ainda há dirigentes insatisfeitos com o modelo de votação. Entre eles está o vice-presidente do Corinthians Jorge Kalil para quem o sistema não tem sentido ao igualar os votos.

– Nada contra os outros, mas não é certo o campeão brasileiro ter o mesmo peso que o último colocado da Série B ou da federação do Acre ou Roraima – comentou Kalil.

Segundo o dirigente corintiano, o sistema do colégio eleitoral da CBF foi tema de conversa entre dirigentes nos próprios corredores da entidade durante o pleito realizado em dezembro que elegeu o presidente da federação paraense, Coronel Nunes, um dos vice-presidentes da CBF. E que ao menos outros dois presidentes de grandes clubes foram favoráveis à mudança.

– Com esse sistema o futebol brasileiro está fadado ao fracasso – criticou o dirigente corintiano.



MaisRecentes

CBV visita cidade que pode receber seleções de vôlei nos Jogos de 2020



Continue Lendo

Botafogo deixa a Libertadores com R$ 13,4 milhões pela participação



Continue Lendo

Empresa explica saída do Brasil do Tour da Taça da Copa do Mundo



Continue Lendo