Clube paulista responde por 10% das ações trabalhistas no futebol brasileiro



Jogadores receberam apenas um mês de salário durante a temporada de 2015 (Crédito: Divulgação/União Barbarense)

O União Barbarense, da 2ª divisão do Campeonato Paulista, foi responsável por quase 10% das ações trabalhistas impetradas por jogadores em todo o futebol brasileiro. Segundo levantamento do advogado Filipe Rino, especializado na área trabalhista desportiva, das 461 ações realizadas por parte dos atletas em 2015, 40 delas (8,7%) são contra o time de Santa Bárbara D’Oeste (SP). Ao longo de toda a temporada de 2015, o clube pagou apenas um mês de salário aos atletas, ficando devendo ainda férias e décimo terceiro.

O principal motivo apontado por Rino para o grande número de ações trabalhistas contra o União Barbarense foram as parcerias realizadas com as empresas Abrasport, em 2014, e o escritório de contabilidade e advocacia Carmo de Souza, este ano.

– Essas empresas vêm, contratam, e depois vão embora sem pagar. E o clube tenta se eximir da culpa responsabilizando as parceiras – diz Rino. Em 2015, o clube paulista pagou apenas um mês de salários aos atletas.

O fato apontado pelo advogado foi exatamente a explicação do atual VP e presidente eleito do União Barbarense a partir de 2016, Ademir Cruz. Segundo ele, o principal culpado é Dario Furlan, cujo mandato se encerra este ano.

– Ficamos reféns das atitudes de quem estava acima da gente e não pudemos fazer nada – diz o dirigente, que calcula uma dívida total em torno de R$ 10 milhões.



MaisRecentes

Del Nero promete solução na segunda-feira para transmissão dos jogos da Seleção



Continue Lendo

Presidente da Ferj tira terceira licença em 2017



Continue Lendo

Vasco convive com atrasos salariais, mas mantém ascensão no Brasileiro



Continue Lendo