Jogadores podem ter previdência privada em 2016



Martorelli teve duas reuniões na CBF adiadas nas últimas semanas (Crédito: Divulgação/Fenapaf)

A Federação Nacional dos Atletas de Futebol (Fenapaf) quer criar um fundo de receitas para servir como previdência privada para os jogadores que encerrarem a carreira. A ideia da entidade é que 0,5% da arrecadação das bilheterias dos jogos seja repassado à iniciativa. A criação do fundo já foi levado à CBF e o benefício pode ser adotado já para a temporada 2016.

– O problema é que acham que jogador de futebol ganha muito dinheiro e não precisa de nada – afirma Rinaldo Martorelli, presidente da Fenapaf.

Além do repasse das bilheterias dos jogos de futebol, outra arrecadação do fundo para a previdência privada dos jogadores viria das negociações de atletas, onde os clubes têm que repassar por lei 0,8% dos valores para a Federação das Associações de Atletas Profissionais (Faap) e 0,2% para a Fenapaf. A ideia é que metade do total encaminhado às entidades seja revertido para o novo fundo.

Presidente da Fenapaf, Rinaldo Martorelli já teve duas reuniões com a CBF para tratar da previdência privada aos atletas canceladas nas últimas semanas. O motivo foi a atribulada agenda da entidade responsável pelo futebol brasileiro, iniciada com a licença o pedido de licença do presidente Marco Polo Del Nero e encerrada ontem com a eleição para a escolha do novo vice-presidente, que foi vencida por Coronel Nunes.



MaisRecentes

Del Nero estava em reunião quando soube de suspensão. E não pode pisar na CBF



Continue Lendo

Ideia de biometria em setor de organizadas não entra em regulamento da CBF



Continue Lendo

Licitação dará destino a direitos da Copa América que eram da Datisa



Continue Lendo