Jogadores podem ter previdência privada em 2016



Martorelli teve duas reuniões na CBF adiadas nas últimas semanas (Crédito: Divulgação/Fenapaf)

A Federação Nacional dos Atletas de Futebol (Fenapaf) quer criar um fundo de receitas para servir como previdência privada para os jogadores que encerrarem a carreira. A ideia da entidade é que 0,5% da arrecadação das bilheterias dos jogos seja repassado à iniciativa. A criação do fundo já foi levado à CBF e o benefício pode ser adotado já para a temporada 2016.

– O problema é que acham que jogador de futebol ganha muito dinheiro e não precisa de nada – afirma Rinaldo Martorelli, presidente da Fenapaf.

Além do repasse das bilheterias dos jogos de futebol, outra arrecadação do fundo para a previdência privada dos jogadores viria das negociações de atletas, onde os clubes têm que repassar por lei 0,8% dos valores para a Federação das Associações de Atletas Profissionais (Faap) e 0,2% para a Fenapaf. A ideia é que metade do total encaminhado às entidades seja revertido para o novo fundo.

Presidente da Fenapaf, Rinaldo Martorelli já teve duas reuniões com a CBF para tratar da previdência privada aos atletas canceladas nas últimas semanas. O motivo foi a atribulada agenda da entidade responsável pelo futebol brasileiro, iniciada com a licença o pedido de licença do presidente Marco Polo Del Nero e encerrada ontem com a eleição para a escolha do novo vice-presidente, que foi vencida por Coronel Nunes.



MaisRecentes

Del Nero promete solução na segunda-feira para transmissão dos jogos da Seleção



Continue Lendo

Presidente da Ferj tira terceira licença em 2017



Continue Lendo

Vasco convive com atrasos salariais, mas mantém ascensão no Brasileiro



Continue Lendo