Africanos querem evitar tema escravidão durante a Rio-2016



O presidente da Associação dos Comitês Olímpicos Nacionais da África, o general Lassana Palenfo, está animado com a instalação da Casa da África no Rio durante os Jogos Olímpicos. Está nos planos a presença de referências do futebol africano, como Eto’o, Weah e Drogba.

O local ainda não foi confirmado. A Prefeitura do Rio torce para que seja escolhido (não só por parte dos africanos) um ponto da zona portuária, que está passando por uma revitalização. De preferência, próximo ao Cais do Valongo.

Mas os africanos não querem utilizar qualquer referência à escravidão, como é o caso do Cais.

– Será um lugar para promover a cultura, o esporte, turismo e tudo sobre a África. É para ver o que é a África agora e o que o continente pretende ser no futuro – disse o general à coluna.

No entanto, como a zona portuária estará movimentada durante os jogos, é possível que os africanos mantenham “um pé” na região, com um posto secundário.



MaisRecentes

Bittencourt é o primeiro presidente do Fluminense a apresentar dirigentes da base em Xerém



Continue Lendo

Pela primeira vez, desde que assumiu a CBF, Rogério Caboclo participará de um programa ao vivo



Continue Lendo

Santos e FPF se unem em campanha por apoio ao futebol feminino no Brasil



Continue Lendo