Dirigente defende redução de idade mínima para contrato com jovens atletas



Entre os sete vetos no Profut que poderão ser derrubados hoje pelo Congresso, o que reduz a idade mínima de 14 para 12 anos para um clube fazer contrato com jovens jogadores tem recebido atenção especial dos dirigentes de futebol. Na visão de quem apoia a mudança da legislação, a redução da idade mínima daria maior competitividade ao futebol brasileiro em relação a outros mercados da bola, que permitem contratos com jovens com menos de 14 anos.

Entre os defensores estão o diretor jurídico do Atlético-MG, Lásaro Cunha, que classifica o veto do governo à mudança como “um escândalo”.

– O clube disponibiliza estrutura e profissionais de qualidade para os garotos, mas não pode fazer contrato. Isso é um erro – comenta Cunha.

O Galo é um dos clubes brasileiros que já confirmaram a adesão ao refinanciamento da dívida fiscal proposto no Profut.



MaisRecentes

Final da Primeira Liga muda de data



Continue Lendo

Restituição crescente de verba dá ‘gás’ para Ministério do Esporte lutar por orçamento



Continue Lendo

Vadão está de volta à Seleção Brasileira feminina



Continue Lendo