Atraso da Receita impede clubes de aderirem ao Profut



Dilma em reunião sobre o Profut com dirigentes de futebol: lei foi sancionada há mais de um mês

Passado mais de um mês da assinatura da Lei do Profut pela presidente Dilma, os clubes interessados no programa de refinanciamento do governo ainda não conseguem fazer a adesão. O motivo é o atraso da Receita Federal em divulgar a regulamentação do sistema de parcelamento. Consultado, o órgão limitou-se a comentar que o regulamento “está sendo finalizado” mas que ainda não há uma data prevista para a sua divulgação. O prazo limite para os clubes aderirem ao parcelamento do Profut é até o fim de novembro.

Um dos clubes que ainda não puderam fazer a adesão ao parcelamento proposto pelo governo é o Atlético-MG. No final de agosto, o Conselho Deliberativo do Galo aprovou as mudanças em seu estatuto para se adequar ao programa mas ainda não fez a adesão por conta do atraso da regulamentação pela Receita. “Só falam que será em breve. Falou-se tanto do Profut e agora está essa demora”, afirma Lázaro Cunha, diretor jurídico do Atlético-MG.



MaisRecentes

Final com Flamengo bate recorde de audiência do futebol na Globo em 2017



Continue Lendo

Inclusão de técnicos no fair play financeiro da Série A entrará em pauta para 2018



Continue Lendo

Flamengo aprova orçamento de 2018 com verba tímida para contratações



Continue Lendo