Relator do caso Dudu no STJD vê pena como ‘proporcional’ e por isso fez homologação



Apesar de a suspensão de seis partidas imposta ao palmeirense Dudu ter sido uma proposta da Procuradoria do STJD, a homologação só ocorreu porque o auditor relator do caso, o goiano Miguel Cançado, concordou com a proposta.

Na visão dele, a pena “é proporcional” à infração cometida por Dudu e a homologação “se deu na forma da lei”. Se achasse que a pena era branda ou exagerada, o relator teria a prerrogativa de não homologar e levar o caso a julgamento no Pleno, como estava previsto para acontecer nesta quinta-feira.



MaisRecentes

Benemérito do Vasco reclama de obstrução da secretaria para regularizar sócio



Continue Lendo

Vasco fecha com novo patrocinador até o final da temporada



Continue Lendo

Tour da Arena Corinthians já recebeu mais de 100 mil visitantes



Continue Lendo