Em estudo, banco aponta que Profut não é suficiente para modernizar o futebol brasileiro



Em estudo sobre as finanças dos clubes brasileiros, o Itaú BBA considerou que as medidas da Lei do Profut “colocam os clubes no caminho certo” mas não são suficientes para “reformular o futebol brasileiro”. Segundo o banco, o ideal para a modalidade no país é criar um plano estratégico que transforme o futebol em negócio, assim como fazem Inglaterra e Alemanha, e como vêm realizando os Estados Unidos.

Em sua avaliação sobre o Profut, o Itaú BBA aponta que as medidas são positivas em sua maioria mas que há “itens pouco efetivos”. O principal deles é o limite máximo de 80% de gastos com folha de pagamento, que o banco considera ser “inócuo como instrumento de controle” das finanças dos clubes.



MaisRecentes

Vasco acerta aumento pontual da exposição do Azeite Royal na camisa



Continue Lendo

Especialistas em Direito do Esporte se unem em um novo escritório de advocacia



Continue Lendo

Caso Everest: Diário Oficial publica autorização para licitar nova sede do clube



Continue Lendo